Para Ricciardo, F1 não sobreviveria sem a Red Bull

Após briga com a Renault, sua fornecedora de motores, marca esteve próxima de tirar seus times da categoria em 2015

A Red Bull esteve em situação difícil nesta temporada. Depois de conquistar quatro campeonatos seguidos, o time teve em 2015 em sua pior temporada desde que se tornou vencedor de corridas.

Com uma unidade de potência que não entregava o potencial que deveria ao ver da equipe, o time ameaçou sair da Fórmula 1 durante toda a temporada, mas principalmente após rescindir seu contrato com a Renault. Sem outra montadora disponível para fornecer motores competitivos, a equipe terá de correr com o Renault no ano que vem renomeado como TAG-Heuer - novo patrocinador da equipe.

Para Daniel Ricciardo, a Fórmula 1 correu grande risco. Se perdesse a Red Bull passaria a viver uma crise, segundo ele.

"Acho que o esporte, especialmente como está sendo agora... eu não estou dizendo que é um lugar ruim, mas se perdesse duas equipes, se tornaria um lugar ruim", disse Ricciardo ao Motorsport.com em entrevista exclusiva no Perth Speed Fest, na Austrália.

"Eu só não acho que o esporte iria sobreviver."

Política não distraiu

Embora as dúvidas sobre o futuro da Red Bull tenham povoado o assunto ao redor da gestão da equipe neste ano, Ricciardo disse que conseguiu se colocar longe da política.

"Eu estava sempre a par dos acontecimentos o suficiente. Tinha certeza de que eu continuaria no grid no próximo ano", disse ele.

"Eu não precisava saber de todos os detalhes – é da minha conta, mas também não era da minha conta.”

"Eu estava apenas feliz por continuar guiando. Mas, obviamente, queria perguntar ao time: 'o que vai acontecer?' ou 'tenho de começar a procurar outro lugar?' "

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Daniel Ricciardo
Equipes Red Bull Racing
Tipo de artigo Últimas notícias