Paul Ricard prevê curva a 340 km/h em GP de 2018

Organização garante que curva Signes será feita em alta velocidade apesar de longa reta Mistral ser ocupada por uma chicane no ano que vem

Simulações oficiais mostram que os carros de F1 atingirão 340 km/h na curva Signes no circuito de Paul Ricard, mesmo que a reta Mistral tenha uma chicane.

A F1 retornará à França após um hiato de dez anos em 2018, no dia 24 de junho, inaugurando uma inédita trinca de corridas em semanas consecutivas com a Áustria e Inglaterra.

Organizadores escolheram a versão do traçado de 5,8 km para a corrida, com uma chicane que quebra no meio a famosa reta Mistral.

Apesar disso, as simulações mostraram que os carros atingirão 343 km/h antes da chicane.

“A FIA fez algumas pesquisas e a velocidade antes da chicane será de 343 km/h, então ela é útil”, disse o diretor do GP da França, Gilles Dufeigneux, ao Motorsport.com.

“A chicane foi acrescentada para evitar que os motores andem a plena velocidade, em subida, por 1,8 km. Também queremos facilitar com a criação de um ponto de ultrapassagem adicional.”

“Teremos três retas onde os carros podem andar a toda velocidade antes de grandes desacelerações – curva 1, curva 8 e a curva Signes, de pé embaixo.”

“De acordo com a FIA, os carros atingirão 343 km/h antes da chicane e 343 km/h na tomada da Signes. Os pilotos nos disseram que o uso da chicane representará uma oportunidade para ultrapassagens sem o DRS durante a corrida.”

“Apresentamos a nova configuração do circuito a vários pilotos durante o GP da Áustria, incluindo Lewis Hamilton, Sebastian Vettel e Fernando Alonso. Eles gostaram e disseram que a versão de 5,8 km era uma boa opção.”

Paul Ricard, que tem um contrato de cinco anos para realizar o evento, sediou o GP da França pela última vez em 1990, antes de Magny-Cours assumir a posição. O local esteve fechado para corridas entre 1999 e meados dos anos 2000.

Como o circuito é majoritariamente usado para testes, o maior investimento exigido para a prova está nas arquibancadas.

“Com relação ao circuito em si, serão pequenas mudanças”, disse Arnaud Pericard, que é parte da equipe organizadora do GP da França. “A FIA teve uma visita de inspeção há alguns meses e são pequenas mudanças com relação a zebras, o que faremos no fim do ano.”

“O circuito já está homologado para a F1 há um bom tempo, então não são grandes mudanças. A mais importante estará nas arquibancadas, que são grande coisa.”

Os organizadores trabalham com números conservadores, com ocupação entre 60 e 65 mil no dia da corrida. Isso estará dividido entre 40-45 mil nas arquibancadas e 20-25 mil nas demais dependências.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias