Pedro de la Rosa compara Ferrari com HRT: "São muito diferentes"

"Temos muito trabalho adiante, mas é por isso que me contrataram", reconheceu o piloto sobre o simulador da equipe

A sexta-feira de testes em Jerez de la Frontera para o espanhol Pedro de la Rosa foi muito esclarecedora. Pela primeira vez a bordo de um carro da Scuderia, o experiente piloto finalmente teve a chance de andar em um bólido atual e de alto nível.

O ex-piloto da HRT, pior equipe no grid nos últimos anos e que nesta temporada fechou suas portas, disse que foi muito importante pegar a mão do carro para poder ajudar mais no desenvolvimento do simulador do time.

"Agora eu percebi quanto um carro de atual de alto nível tem de aderência. Comparado ao meu carro ano passado, a diferença é muito grande. O testes nos deu uma plataforma sólida que permite trabalhar no nosso simulador nas próximas semanas", revelou.

Mesmo tendo problemas na parte da manhã, quando uma falha no câmbio do F138 deixou o espanhol dar somente 2 voltas na pista, de la Rosa completou  49 giros à tarde - totalizando 51 - e cravou, na melhor de suas passagens, o tempo de 1min20s316, que lhe deixou em nono no geral.

O espanhol deixou claro que não buscava performance no treino de hoje, mas sim sentir o carro para poder ajudar nos trabalhos de simulação. O ex-piloto de testes da McLaren reconheceu que falta muito à Ferrari nesse quesito. "Temos muito trabalho adiante, mas é por isso que me contrataram." 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Pedro de la Rosa
Tipo de artigo Últimas notícias