Peso é desafio para Hulkenberg encontrar vaga para 2014

Whitmarsh já admitiu que McLaren não quis alemão de 1,84m devido a seu físico; Massa é o piloto mais leve do grid

Como se não bastassem todas as mudanças técnicas que acontecerão em 2014, as equipes têm outra preocupação: contar com pilotos leves. Isso porque, mesmo que o limite mínimo de peso do conjunto carro + piloto tenha sido aumentado no regulamento do ano que vem em 43kg, a nova unidade de potência – composta pelo motor turbo e pelos sistemas de recuperação de energia – será consideravelmente mais pesada do que a usada nos últimos anos.

Este é um dos motivos que explica porque pilotos como Paul Di Resta, Adrian Sutil e, especialmente, Nico Hulkenberg, ainda estão com o futuro indefinido. O alemão da Sauber é tido como o melhor piloto entre os que estão atualmente nos times médios, mas tem 1,84m de altura e pesa, de acordo com sua equipe, 74kg. Para se ter uma ideia, um de seus rivais na briga pela vaga de Kimi Raikkonen na Lotus, o baixinho Felipe Massa, não passa dos 60kg. “Claro que seria melhor eu ter 10cm a menos, mas não posso mudar minha altura, então as equipes terão de trabalhar nisso”, afirma Hulkenberg.

Pelo menos o alemão está falando a mesma língua do chefe da Lotus, Eric Boullier. “Confiamos que nossa equipe de desenvolvimento terá a capacidade de produzir um carro para as regras de 2014 que seja competitivo nas mãos de qualquer piloto que considerarmos para o ano que vem”, garantiu.

Mas o próprio chefe da McLaren, Martin Whitmarsh, reconheceu que não considera ter o alemão na equipe justamente por esta questão. “Temos de encontrar uma solução, mas duvido que isso ocorra nos próximos meses. Infelizmente, a maneira como as coisas aconteceram significa que os mais pesados serão menos atrativos [para os times].  Isso aconteceu acidentalmente. Aumentamos o limite mínimo, mas os novos motores são mais pesados do que o esperado e agora temos uma situação em que os pilotos mais pesados estão em desvantagem”, afirmou à Sky Sports.

Tão alto e pesado quanto Hulkenberg, Di Resta é outro que não tem grandes perspectivas para o próximo ano. “É uma preocupação para um piloto como eu”, disse ao Daily Telegraph. “Estou em um ponto em que estou três ou quatro quilos abaixo do que gostaria para estar saudável. Estou quatro quilos mais magro do que quando comecei na F-1, e estava bem no limite do que achava possível naquela época. Gostaria que aumentassem o limite porque isso não faria diferença para os pilotos menores. É uma vantagem um pouco injusta para eles porque eles não apenas podem mover o peso do carro para o lugar certo, mas também se mantêm em um nível mais saudável.”

Para Adrian Sutil, esse é um problema que tende a se agravar com o tempo. “Acho que a média de altura dos pilotos aumentou nos últimos anos e não queremos mais pesar 60kg, isso não é mais saudável. Estou pesando um pouco mais”, riu o piloto, que pesa cerca de 75kg para seus 1,84m de altura. “Tenho que pensar primeiro na minha saúde.”

Esta também é a briga de Jenson Button – que tem 1,81m e 70kg – pediu à FIA que reconsidere o limite para o ano que vem. Porém, o inglês não acredita que terá sucesso tão cedo. “Algumas equipes podem não querer mudar o peso porque têm pilotos menores.”

 

O piloto da McLaren diz que tem sofrido e que adoraria voltar a comer normalmente. “Nos últimos três anos, provavelmente houve quatro corridas em que perdi meio décimo ou um décimo porque estava acima do peso. Parece pouco, mas na classificação isso poderia ser uma posição ou duas e, na corrida, cinco ou seis segundos. É algo importante que não é notado. Tenho 6% de gordura e, mesmo assim, estou no limite do nosso carro.”

Mark Webber, que se aposenta ao final do ano, foi o primeiro a reclamar. O piloto da Red Bull afirmou que o “piloto perfeito” para os times hoje tem 60 a 65kg. Com 75kg em 1,85m, o australiano diz que tem passado fome para se manter em um padrão mínimo, enquanto seu companheiro, 10cm mais baixo, pesa 64kg. “Não como há cinco anos!”

Outro ‘baixinho’, Lewis Hamilton, com seus 1,75m, não leva tão a sério o padrão perfeito de Webber. “Peso cerca de 74kg. Nunca pesei 65kg. Cheguei a 68kg ano passado, mas ganhei mais três quilos. E não me pediram para emagrecer. Inclusive, quero ganhar mais um quilo de músculo. Acho que Michael Schumacher tinha 78kg com macacão e capacete e Adrian Sutil, 82kg. Só chego a 65kg se cortar minhas bolas fora!”, brincou o inglês.

Para Button, esta é uma tendência que pode atrapalhar a prospecção de talentos no futuro. “Você pode ter um piloto muito talentoso que pode ser perdido por sua altura e peso mesmo se estiver o mais magro e em forma que puder. Se estiver 5kg fora do peso isso significa 0s2 por volta e pode ser o fim de sua carreira.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias