Pietro diz que meta é estar na F1 como piloto oficial em 2020

compartilhar
comentários
Pietro diz que meta é estar na F1 como piloto oficial em 2020
Erick Gabriel
Por: Erick Gabriel
9 de nov de 2018 21:51

Novo contratado da Haas diz que pode correr no Japão no ano que vem junto com novo papel em equipe norte-americana

Pietro Fittipaldi foi anunciado nesta sexta-feira como piloto de testes da Haas. Os trabalhos do neto de Emerson Fittipaldi já começam nos testes de pós-temporada em Abu Dhabi no dia 27 de novembro.

Presente em interlagos, Pietro era só alegria no paddock da F1 e comentou a novidade com exclusividade para o Motorsport.com Brasil.

“É uma grande oportunidade para mim. Sempre foi um sonho, assim como para qualquer piloto, guiar um carro de F1 e vou poder fazer isso no final do ano e em 2019. Ser contratado por uma equipe de F1 é um grande passo na minha carreira, um sonho cumprido. É claro, eu não quero ser só um piloto de testes, quero correr na F1, essa é a meta, mas é um grande passo à frente, estou muito feliz.”

Durante os treinos classificatórios das 6 Horas de Spa, Pietro se acidentou e acabou quebrando as duas pernas, o que o fez perder boa parte do calendário que incluía provas do WEC, Indy e Super Fórmula Japonesa. Mas antes do acidente ele já havia conversado com Gunther Steiner, chefe da Haas. O neto de Emerson Fittipaldi explicou como foram retomadas as conversas após o infortúnio.

“A princípio faríamos o TL1 na Hungria, em junho, daí eu tive o acidente, não pude, estava focado na minha recuperação, mas continuei em contato com o Gunther (Steiner, chefe da Haas). Ele sempre me mandava mensagens, perguntando como estava minha recuperação. Falei também como foi minha volta, ao guiar um carro depois do acidente.”

“Há um mês, como ele mora na Carolina do Norte, perto de uma das bases da Haas, e eu moro há 10 minutos de lá também, ele me convidou para um almoço. E foi aí que ele me ofereceu essa posição para trabalhar na equipe.“

Pietro também explicou como será o seu trabalho na equipe norte-americana.

“Fui contratado pela Haas, então meu foco será a F1, desenvolvendo o carro de 2019 e os pneus para a próxima temporada. Então meu foco será com a Haas. Vou fazer muito trabalho no simulador também. Estarei presente em quase todos os fins de semana de F1, acompanhando a equipe e isso vai ser muito bom para mim.”

Normalmente, um piloto de testes também compete em outras categorias e o caso de pietro não fugirá a esta regra. E neste caso, Super Fórmula Japonesa aparece como uma das categorias que podem abrigar o piloto brasileiro.

“Eles [Haas] querem também que eu continue correndo, ativo. Não é como no passado, quando você tinha o time que corria e o time de testes. Tinha time que fazia 80 dias de treinos, agora é limitado, então estamos vendo as opções que tenho para correr, não decidimos ainda.”

“O Japão me interessa muito é um campeonato que tem oito finais de semana de corrida, então não vai conflitar muito com o calendário da F1, esse é um campeonato que me interessa muito. Eu tinha começado a correr neste ano, mas com o acidente, tive que fazer meu calendário com a Indy e não fiz as provas da Super Fórmula. Mas estamos vendo ainda, não decidimos nada.”

Mas Fittipaldi quer mais, tendo como meta principal ser titular de uma equipe em 2020.

“Eu quero estar na F1 em 2020, claro. Quero estar aqui representando o Brasil como titular. Essa é a meta, sempre foi meu sonho levar a bandeira do Brasil ao topo do pódio. Agora é focar com essa oportunidade que estou tendo com a Haas como piloto de testes, fazendo o melhor trabalho possível e a oportunidade virá.“

Next article
Hulkenberg: “pequeno erro” causou acidente em Interlagos

Previous article

Hulkenberg: “pequeno erro” causou acidente em Interlagos

Next article

Ocon troca câmbio e perde 5 posições no grid em Interlagos

Ocon troca câmbio e perde 5 posições no grid em Interlagos
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Erick Gabriel
Tipo de matéria Últimas notícias