Pilotos explicam pistas do calendário 2012 da Copa Caixa Stock Car

compartilhar
comentários
Pilotos explicam pistas do calendário 2012 da Copa Caixa Stock Car
Por: Bruno Vicaria
21 de mar de 2012 13:17

Claudio Ricci (ex-Amir Nasr e RZ) e Enrique Bernoldi (ex-Action Power e RCM) analisam as dez pistas desta temporada

Largada da última etapa de 2011

A Stock Car terá uma temporada movimentada pelos autódromos do Brasil. A categoria passa por nada menos que dez pistas das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do País: Interlagos, Curitiba, Rio de Janeiro, Campo Grande, Brasília, Ribeirão Preto, Salvador, Londrina, Velopark e Tarumã.

Para analisar cada circuito, o TotalRace convidou dois pilotos que conhecem bem os traçados: Claudio Ricci (ex-Amir Nasr e RZ) e Enrique Bernoldi (ex-Action Power e RCM). Confira os detalhes logo abaixo:
 
Interlagos
Extensão: 4.309 metros
Etapas: 1 (25/3) e 7 (5/8)
 
 
"Interlagos é a melhor pista do calendário em termos de estrutura, segurança, disputa e evento. A pista dispensa comentários e exige o máximo dos carros e da habilidade dos pilotos. A presença da chicane traz um elemento interessante e não macula a disputa, mas corta a principal característica do setor: a velocidade. É sempre uma boa corrida" - Enrique Bernoldi
 
Curitiba
Extensão: 3.695 metros 
Etapas: 2 (15/4) e 11 (21/10)
 
 
"Pista curta e rápida, com uma chicane encardida no fim da longa reta e um "S" de alta de prender a respiração na parte de trás e um setor bem travado no fim da reta oposta. Para quem gosta de largadas complicadas, essa pista é o local perfeito, pois sempre sai uma lambança. No anel externo, é velocidade pura" - Enrique Bernoldi
 
Velopark
Extensão: 2.278 metros
Etapa: 3 (6/5)
 
 
"Uma pista com características de rua, com muros proximos e curta, além de dois pontos cegos: um no final da reta de largada e o outro passando o viaduto. Penso que no futuro deveriam modificar esse local. Particularmente, acho uma pista muito técnica e que exige um acerto de chão muito bom. Gosto de pilotar lá, mas muitas equipes e pilotos reclamam" - Cláudio Ricci
 
Ribeirão Preto
Extensão: 2.395 metros
Etapa: 4 (20/5)
 
 
"Uma legitima pista de rua, estreita, com zero de área de escape, mas muito prazerosa na pilotagem. É uma pista muito estreita em certo pontos e bastante ondulada, principalmente na reta principal. É local de grande publico e pista de muitas batidas; os carros sofrem muito com os freios, é bem desafiante" - Cláudio Ricci
 
Londrina
Extensão: 3.145 metros
Etapa: 5 (1/7)
 
 
"É uma daquelas pistas ótimas de se pilotar, mas complicada para correr, por conta da largura: é muito estreita. Mas, agora, com o push-to-pass, é possível aproveitar melhor as duas curtas retas, que são os melhores pontos de ultrapassagem. Além disso, possui curvas fantásticas, como o "S" que leva à reta oposta e o curvão que vem em seguida" - Enrique Bernoldi
 
Rio de Janeiro
Extensão: 3.336 metros
Etapa: 6 (15/7)
 
 
"Mesmo mutilada, é uma boa de se pilotar e proporciona boas corridas por conta das boas retas que possui, ainda que cortadas pela metade. A primeira curva é um desafio à parte e o "S" que vem em seguida é complicadinho. Como evento, é espetacular, nossa etapa mais requintada, cheia de famosos" - Enrique Bernoldi
 
Salvador
Extensão: 2.724 metros
Etapa: 8 (26/8)
 
 
"A pista é fantastica por ser de rua, bem larga em vários pontos e desafiadora, com um asfalto muito bom e bons pontos de ultrapassagem, Foi muito bem projetada" - Cláudio Ricci
 
Campo Grande
Extensão: 3.444 metros
Etapa: 9 (16/9)
 
 
"Pista apertada, quente e abrasiva, complicada de ultrapassar. Nessa pista a classificação é essencial, assim como conservar os pneus, tarefa complicada no calor de Campo Grande" - Enrique Bernoldi
 
Tarumã
Extensão: 3.016 metros
Etapa: 10 (30/9)
 
 
"Uma pista fantástica, mas que parou no tempo. É rápida e com curvas muito desafiadoras e famosas, como o Laço e o Tala Larga, mas possui boxes precários e segurança baixa. Quando não chove, tem corridas ótimas" - Enrique Bernoldi
 
Brasília
Extensão: 2.919 metros
Etapa: 12 (11/11)
 
 
"O anel externo de Brasília é a pista que mais proporciona ultrapassagens em toda a temporada. Não tem o charme de ser o circuito completo, mas é um espetáculo à parte pela velocidade e pelas inúmeras disputas. Os pneus merecem atenção extra" - Enrique Bernoldi
Próxima Fórmula 1 matéria
Conservar pneus será vital em Sepang, na opinião de Webber

Previous article

Conservar pneus será vital em Sepang, na opinião de Webber

Next article

Pilotos já se preocupam da chuva afetar o GP da Malásia

Pilotos já se preocupam da chuva afetar o GP da Malásia
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Bruno Vicaria
Tipo de matéria Últimas notícias