Pirelli: Desgaste de pneus em Suzuka foi aumentado por tufão

compartilhar
comentários
Pirelli: Desgaste de pneus em Suzuka foi aumentado por tufão
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
5 de out de 2018 11:43

Fabricante de pneus da Fórmula 1 diz que chuvas nos últimos tempos tiraram borracha da pista japonesa

As equipes da Fórmula 1 estão enfrentando um desgaste de pneus maior do que o esperado no GP do Japão como resultado das chuvas vinda de tufões recentes, que mudaram a aspereza da pista em Suzuka.

A Pirelli suspeita que o mau tempo de pelo menos dois tufões que varreram o Japão recentemente ajudaram a remover borracha de outras atividades de pista, e isso teve um impacto na aderência e no desgaste.

Falando após o primeiro dia de treinos no Japão, onde as bolhas nos pneus da Ferrari foram um dos principais pontos de discussão, o chefe de competição da Pirelli, Mario Isola, disse que houve uma grande mudança na pista.

"Em termos de rugosidade do asfalto, temos um grande passo em macro rugosidade", disse ele.

"Isso se deve provavelmente às condições climáticas, porque parece que a chuva forte e os tufões mudaram o asfalto. Então, isso está afetando principalmente a aderência e o desgaste – aumentando o desgaste".

Embora a Ferrari tivesse bolhas mais visíveis na sexta-feira, Isola disse que a equipe italiana não estava sozinha em seus problemas – embora isso tenha afetado apenas alguns carros.

Isola também está confiante de que a Ferrari conseguirá sair da situação dos pneus, por isso não deve encarar dramas como resultado de sua agressiva decisão de escolher o maior número de pneus supermacios neste fim de semana.

"Eu acho que os pneus são gerenciáveis ​​e, com certeza, a partir dos dados de hoje, eles serão capazes de reagir e encontrar uma configuração que está reduzirá ou evitará as bolhas", disse Isola.

"Não se esqueça que a escolha fixa é feita pelas equipes 14 semanas antes, então há muito tempo. Eles provavelmente estão planejando ter mais voltas com pneus supermacios para entender seu comportamento aqui, enquanto outras equipes estão se concentrando no macio e tentando obter mais dados sobre ele.”

"O médio é o macio do ano passado, então é um composto que é bem conhecido por todas as equipes. Eles têm números do ano passado, então não houve necessidade de selecionar muitos médios – ao contrário da McLaren, que selecionou quatro."

Isola disse que uma corrida de duas paradas é teoricamente a opção mais rápida com base nos dados de sexta-feira, mas ele diz que pode não ser rápido o suficiente para fazer com que as equipes façam isso.

"Uma parada ainda é possível", explicou ele. "Tenho que analisar a degradação e o desgaste para entender se duas paradas são uma vantagem e o quanto.”

"Sabemos que é uma vantagem, mas deve ser de 10 a 15 segundos de diferença, ou então todos terão como alvo uma corrida de uma parada, porque não há razão para correr o risco de parar duas vezes e voltar no trânsito e danificar a corrida porque você não consegue ultrapassar."

Próxima Fórmula 1 matéria
Ferrari confirma segundo sensor da FIA em bateria do motor

Previous article

Ferrari confirma segundo sensor da FIA em bateria do motor

Next article

Ferrari testa novo assoalho em estreia de atualizações

Ferrari testa novo assoalho em estreia de atualizações
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble
Tipo de matéria Últimas notícias