Pirelli e times entram em discórdia sobre logística de 2017

Fabricante italiana quer que equipes testem pneus em diversas pistas do calendário, gerando problemas em viagens

As equipes de Fórmula 1 estão travadas em um debate com a Pirelli e a FIA sobre a logística dos testes de pneus no próximo ano.

As regras permitem que 25 dias de testes sejam espalhados durante a temporada e entre as equipes. No entanto, o cronograma provisório sugerido pela empresa de pneus e discutido no Brasil não foi aceito pelas equipes, que apontaram questões logísticas associadas aos carros e seu pessoal em trânsito em corridas fora da Europa como os principais complicadores.

A Pirelli quer testar em várias pistas, incluindo algumas fora da Europa na última parte da temporada. A FIA terá de concordar em permitir testes fora da Europa, enquanto a FOM também terá que adiar seus serviços de frete para as corridas seguintes para esperar pela equipe que está fazendo os testes.

As pistas de Austin e Sepang foram mencionadas como locais bons para testes. As equipes também apontaram que alguns circuitos não estariam disponíveis ou não seriam práticos, citando inclusive questões de segurança em Interlagos.

Os times também sugeriram que, por razões práticas, dias de carro na pista possam ser combinados - por exemplo, três carros correndo no mesmo dia contando como três dias. No entanto, a Pirelli quer que as equipes testem sozinhas, assegurando que os dias e o desenvolvimento dos pneus possam ser espalhados ao longo da temporada.

"É claro que entendemos que em um calendário com 21 corridas não é fácil encontrar a maneira ideal", disse o chefe técnico da Pirelli, Mario Isola, ao Motorsport.com.

"Então, há uma discussão com as equipes para encontrar um plano que seja bom para as equipes e bom para nós. Eu entendo que no início eles podem não ter peças sobressalentes, mas eu não acho que será um grande problema.”

"Precisamos de pistas diferentes porque precisamos rodar em circuitos de alto consumo e circuitos de baixo consumo.”

"Precisamos de algumas sessões dedicadas a pneus de chuva e intermediários. Temos um plano que cobre seis ou sete meses."

Isola é inflexível sobre os testes individuais. "Eu posso entender o ponto de que se você correr com mais de um carro, você tem mais feedback. Mas preferimos ter um carro. Também podemos testar a mesma solução mais de uma vez, em carros diferentes e em pistas diferentes."

Há também uma discussão sobre como os 25 dias serão divididos entre as 11 equipes se cada uma andar dois dias. A empresa pode optar por usar apenas 22 dias para garantir paridade. Para os testes com os carros híbridos (2015 com configuração 2017) neste ano, apenas 24 dias foram utilizados, com três times tendo oito dias cada um.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias