Pirelli prevê dois a três pitstops no GP da Austrália

"Os pilotos deverão notar uma faixa de trabalho mais ampla e uma janela de pico de desempenho maior", vê Paul Hembery

O início da temporada da Fórmula 1 promete ser quente na Austrália: e não apenas pelas temperaturas mais elevadas do que as equipes enfrentaram até agora com seus carros na pré-temporada do inverno europeu. A expectativa é de que os novos compostos da Pirelli se comportem de maneira diferente em relação aos testes, o que pode ser sinônimo de surpresas.

A fornecedora de pneus começa o ano utilizando os compostos médio e supermacio, dupla que vai pela primeira vez para Melbourne. “O clima frio durante a pré-temporada não permitiu que víssemos o máximo dos pneus, mas esperamos uma história diferente em Albert Park, com dois ou três pit stops por carro", prevê Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli.

A empresa procurou tornar seus pneus ao mesmo tempo mais macios e mais rápidos, e também aposta em uma diferença mais acentuada entre os compostos. “Todos os compostos e construções mudaram para 2013, e os pilotos deverão notar uma faixa de trabalho mais ampla e uma janela de pico de desempenho maior. A diferença de tempo entre os compostos também é maior, o que significa que as equipes têm uma grande oportunidade de usar a estratégia para vencer, explorando as diferenças de velocidade", concluiu Hembery.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Tipo de artigo Últimas notícias