Pirelli promete "mais performance e incertezas" para 2013

compartilhar
comentários
Pirelli promete
Por: Julianne Cerasoli
23 de jan de 2013 10:07

A diferença entre os compostos em cada corrida será de pelo menos 0,5s/volta e espera-se mais degradação termal

A Pirelli mostrou hoje, em Milão, os pneus para a próxima temporada da Fórmula 1. A diferença entre os compostos em cada corrida será de pelo menos meio segundo por volta. A expectativa é de que os pneus sejam mais macios e sofram mais degradação termal, fazendo com que os pilotos tenham de fazer, pelo menos, duas paradas durante as provas.

Os compostos serão mais macios e espera-se que cheguem à temperatura em que funcionam melhor mais rapidamente. Da mesma forma, isso causará mais degradação termal do que ano passado. Isso quer dizer é que, por exemplo, o novo pneu duro será basicamente equivalente ao médio usado em 2012. O pneu também terá mais aderência para melhorar a tendência dos carros saírem de traseira nas saídas de curva.

Em sua construção, o pneu foi reforçado na lateral, para evitar deformação no meio das curvas. Os dois compostos mais macios trabalharão em 85 a 90ºC, enquanto os mais duros funcionarão melhor quando chegarem a 100ºC. O peso dos pneus também foi alterado: os traseiros ganharam 700g e os dianteiros, 300g. Com isso, o peso mínimo do carro subiu de 640 para 642kg.

Em relação às cores, a diferença será o duro, identificado com uma coloração laranja. “Os novos pneus vão promover mais performance e mais incertezas”, prometeu o CEO da Pirelli, Marco Tronchetti Provera. A empresa acredita que conseguiu melhorar o rendimento de sua borracha em 0.5/volta. “Houve um esforço para tornar os jogos mais próximos em termos de performance para tornar mais difícil para as equipes escolher os compostos. Nos foi pedido que introduzíssemos mais incertezas, porque, no final da temporada passada, os pilotos estavam conseguindo usar os mesmos pneus por grande parte da corrida.”

Questionado pelo TotalRace sobre quem serão os pilotos de teste para 2013, Paul Hembery afirmou que “não há motivos para mudar” e descartou a contratação de Kamui Kobayashi para o papel. Lucas Di Grassi e Jaime Alguersuari conduziram os testes ano passado. O diretor esportivo da Pirelli afirmou ainda que a empresa continuará testando com o carro de 2010 da Renault, uma vez que os carros utilizados nos últimos anos logo ficarão obsoletos com a mudança de regras para 2014.

Provera disse ainda esperar que o acordo para fornecer pneus para a Fórmula 1, que termina ao final deste ano, seja prorrogado. O italiano defendeu que a borracha usada na categoria máxima do automobilismo faz bem à imagem da companhia. “Todo mundo nesta indústria sabe que fazer um pneu que dure é o trabalho mais simples possível. Não é um problema. Fazer pneus seguros, que durem 20 a 30 voltas, é o verdadeiro desafio. Promover uma competição quando todos usam os mesmos pneus é muito complicado.”

Falando sobre as categorias de base, Hembery afirmou que a Pirelli dará um teste com um Fórmula 1 para o vencedor da GP2. O britânico também anunciou que a empresa será a fornecedora única para a Stock Car.

Confira o vídeo que explica as mudanças no pneu para 2013:

Próxima Fórmula 1 matéria
Arquivos secretos revelam quanto a Austrália paga para sediar um GP

Previous article

Arquivos secretos revelam quanto a Austrália paga para sediar um GP

Next article

Raikkonen e Pic participarão do Race of Stars em Moscou, Rússia

Raikkonen e Pic participarão do Race of Stars em Moscou, Rússia
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Julianne Cerasoli
Tipo de matéria Últimas notícias