Pirelli revela diferença entre compostos após pré-temporada

compartilhar
comentários
Pirelli revela diferença entre compostos após pré-temporada
Por: Scott Mitchell
10 de mar de 2018 12:15

Fornecedora de pneus divulgou estimativa de tempos de voltas com cada tipo de borracha utilizada em Barcelona

Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB14
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS18
Valtteri Bottas, Mercedes-AMG F1 W09
Scuderia Toro Rosso STR13 front wheel
Ferrari SF71H front wheel and Pirelli tyre

O mau tempo limitou os testes de pré-temporada em Barcelona na primeira semana, mas as melhores condições na segunda parte permitiram que a Pirelli coletasse dados cruciais sobre sua nova seleção de pneus.

A fornecedora oficial da F1 estima uma diferença de desempenho de 0.8s do novo pneu macio para os médios, que é o único composto que não é uma nova especificação para este ano.

Do novo pneu macio ao novo supermacio, a Pirelli relatou uma diferença de 0.4s, uma diferença mais modesta, enquanto que entre o supermacio e o ultramacio, o gap era de aproximadamente 0.6s.

O novo pneu da Pirelli para 2018, o hipermacio , foi de 0.7s a 0.8s mais rápido que o ultramacio, de acordo com o diretor esportivo Mario Isola.

Ele disse que a Pirelli não fez uma estimativa para o pneu duro, que é efetivamente um composto de emergência para 2018, porque não tinha muitos dados, mesmo tendo sido usado na quinta-feira pela Mercedes e Sauber.

Isola explicou que os números acima, que são específicos do circuito de Barcelona, foram determinados por "uma média feita por diferentes equipes" e o desempenho do hipermacio é semelhante ao do teste de pós-temporada do ano passado em Abu Dhabi.

Uma complicação adicional para a Pirelli foi o novo asfalto no Circuito da Catalunha, que foi reformado completamente, principalmente a pedido da MotoGP para suavizar os bumps.

"O asfalto novo tem propriedades completamente diferentes em comparação com o antigo", disse Isola.

"O antigo era bastante abrasivo com muita degradação, muito desgaste, adequado para os compostos mais duros.”

"Esta pista é muito mais suave, mas com um nível muito bom de aderência. Isso significa que temos menos degradação e menos desgaste porque a pista é suave, mas a aderência ainda é boa."

Uma das consequências da reforma foi o retorno das ranhuras por desgaste, que Isola afirmou que nunca foi um problema em 2017.

"Tínhamos algumas bolhas e um pouco dessas ranhuras", disse ele. "Isso é novo em relação ao ano passado, quando não tivemos nenhum.”

"Sinto que a nova pista está gerando um pouco disso porque é suave e você tem alguma derrapagem na parte esquerda frontal.”

"Temos que confirmar que temos esse tipo de efeito quando voltarmos em maio com temperaturas mais altas.”

"As bolhas não são uma surpresa, considerando a energia que os novos carros estão colocando aos pneus novos."

Próxima Fórmula 1 matéria
Aposentado da F1, Massa admite que ainda acompanha categoria

Previous article

Aposentado da F1, Massa admite que ainda acompanha categoria

Next article

GALERIA: O fim da pré-temporada da F1 em Barcelona

GALERIA: O fim da pré-temporada da F1 em Barcelona

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Scott Mitchell
Tipo de matéria Últimas notícias