Pirelli se surpreende com bolhas em pneus na Áustria

compartilhar
comentários
Pirelli se surpreende com bolhas em pneus na Áustria
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
2 de jul de 2018 12:06

Chefe da fabricante diz que bolhas não deveriam ter influído em resultado da corrida, mas diz que acertos foram culpados

Ferrari SF71H front Pirelli tyre
Mario Isola, Racing Manager, Pirelli Motorsport
Lewis Hamilton, Mercedes-AMG F1 W09 blistered rear tyre
Sauber mechanics with Pirelli tyres
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB14 blistered rear tyre
Tyre marks on the track
Sergio Perez, Force India VJM11 and tyre smoke

A Pirelli falou que as bolhas nos pneus, que afetaram muitos pilotos no GP da Áustria, foram uma surpresa – apesar de serem um problema recorrente no Red Bull Ring.

Lewis Hamilton e Daniel Ricciardo tiveram que fazer pit stops extras e não planejados, enquanto o vencedor da corrida, Max Verstappen, conseguiu administrar a situação com sucesso, e os pilotos da Ferrari também sofreram menos.

O chefe da Pirelli na F1, Mario Isola, insistiu que as bolhas são aceitas como parte do jogo, mas reconheceu que o problema não deveria ser tão extremo.

"Nesta pista no ano passado tivemos algumas bolhas, por isso consideramos que esta pista tem potencial para bolhas", disse ele ao Motorsport.com.

"Bolhas e graining são dois efeitos que são bem conhecidos pelas equipes, e eles sabem como gerenciá-los. Obviamente, não queremos ter uma situação em que tenhamos bolhas em todos os carros, porque aí não é uma corrida real.”

"As pessoas têm apenas que administrar as bolhas ou trocar pneus por causa disso. Mas isso não deve influir no resultado da corrida. Nós podemos ter bolhas em Monza se estiver muito quente, especialmente na frente, porque você tem a cambagem, muita frenagem e tração.”

"Existem circuitos onde podemos experimentar isso. Do outro lado, não queremos selecionar pneus muito duros por causa das bolhas."

Isola disse que as temperaturas mais altas foram a chave para os problemas vivenciados na corrida na Áustria.

"Domingo as condições estavam completamente diferentes de sexta-feira. Muito mais quente, muito diferente, e era realmente difícil prever esta situação. E durante os treinos você nunca corre tanto quanto durante a corrida.”

"Vimos, por exemplo, na sexta-feira e no sábado, que o principal problema era o desgaste dos ultramacios, não as bolhas.”

"Nós vimos que o graining era muito relacionado ao acerto. Alguns carros tinham graining na frente, e outros graining na traseira.”

"As bolhas de hoje foram uma situação semelhante, porque acredito que Verstappen tinha algumas bolhas na frente, alguns outros carros tinham bolhas na parte traseira, por isso, provavelmente, também estava relacionado ao acerto.”

"As bolhas que vimos no pneu macio eu acredito que foi principalmente devido ao fato de que, sem desgaste, você mantém muita temperatura nos pneus.”

"Estou dizendo isso porque o macio tinha muito mais bolhas do que o supermacio.”

Próxima Fórmula 1 matéria
GP da Austrália anuncia data para corrida de 2019

Previous article

GP da Austrália anuncia data para corrida de 2019

Next article

F1 instala zona de DRS nas primeiras curvas em Silverstone

F1 instala zona de DRS nas primeiras curvas em Silverstone

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Áustria
Localização Red Bull Ring
Autor Adam Cooper
Tipo de matéria Últimas notícias