Pneus aguentam e Hamilton vence primeira pela Mercedes

Inglês foi preciso no tráfego para ganhar quarta em Budapeste, com Raikkonen suportando pressão de Vettel para ser segundo

Os pneus da Mercedes aguentaram e Lewis Hamilton foi preciso para abrir caminho no meio do tráfego e vencer sua primeira prova pela equipe e a quarta na Hungria. Aguentando forte pressão de Sebastian Vettel, Kimi Raikkonen fez uma para a menos para ser segundo colocado e roubar pontos do alemão, que foi terceiro.

Também com uma tática diferente, Mark Webber pulou de 10º no grid para o quarto lugar, com Fernando Alonso sobrevivendo à pressão de Romain Grosjean para chegar em quinto. Felipe Massa foi o oitavo colocado e Pastor Maldonado aproveitou a quebra de motor de Nico Rosberg para conquistar seu primeiro ponto pela Williams no ano, em décimo. Button, em sétimo, e Perez, em nono, completaram o nono lugar.

Na largada, Hamilton se manteve em primeiro e Vettel não largou bem, mas espremeu Grosjean e conseguiu se manter em segundo lugar. Logo atrás, Rosberg saiu da pista brigando com Massa, que largou bem, mas ficou limitado por três carros praticamente lado a lado na freada pela primeira curva – Grosjean, Alonso e Rosberg – e superou apenas Raikkonen.

Quem também se deu bem foi Button, que largou em 13º e, já na primeira volta, estava em oitavo, sendo o segundo colocado entre os que estavam com pneus médios, atrás de Webber.

Hamilton conseguiu abrir e não foi ameaçado por Vettel no primeiro stint. O alemão, por sua vez, tinha Grosjean por perto, enquanto as Ferrari não conseguiam acompanhar o mesmo ritmo.

Na nona volta, Hamilton foi o primeiro a parar, voltando logo atrás de Button, com médios, mas conseguindo se livrar rapidamente do ex-companheiro. O mesmo não aconteceu com Vettel, que respondeu à parada do inglês duas voltas depois e ficou preso atrás da McLaren. Massa parou junto de Vettel, uma volta antes de Alonso, e ambos mantiveram suas posições.

Correndo em primeiro e segundo as Lotus foram até a volta 13, fazendo um pit stop duplo com Grosjean e Raikkonen e todos voltaram em suas posições originais. A diferença foi a entrada de Webber, primeiro, e Button, terceiro, na disputa.

Button fechou a porta para Vettel, com quem chegou a se tocar na curva 2, danificando sua asa dianteira. Para complicar a situação do alemão, seu engenheiro pediu que se afastasse da McLaren para melhorar a refrigeração do carro. A Red Bull passou a ser muito pressionada por Grosjean, permitindo a aproximação de Alonso.

Enquanto isso, aproveitando a briga de Massa com Perez, Raikkonen ultrapassou o brasileiro, que perdeu uma pequena parte de sua asa dianteira. O ferrarista caiu para nono, enquanto o finlandês passou a virar os melhores setores da corrida.

Na volta 23, o líder Webber parou, liberando Hamilton, que, neste momento, já tinha aberto 11s5 para o grupo liderado por Button. Os pneus no inglês já estavam muito desgastados e Jenson foi superado por Vettel, Grosjean e Alonso. Porém, a manobra do francês ficou longe de ser limpa: eles se tocaram e a Lotus passou reto na chicane, mas se manteve na frente mesmo assim. Na volta seguinte, Grosjean antecipou sua parada.

Com Hamilton em primeiro e Vettel em segundo, o alemão passou a apertar o ritmo para diminuir a diferença. Mais atrás, Alonso não conseguia manter o mesmo ritmo de Webber, quarto e com pneus bem mais novos. A quinta posição estava com Raikkonen, cujo engenheiro pedia que se mantivesse na pista por 10 voltas a mais que o programado, indicando que faria duas paradas.

A Red Bull esperava que Grosjean ficasse preso atrás de Massa, mas o francês ultrapassou o brasileiro, por fora na curva 4, ganhou a sexta posição e passou a ser o carro mais rápido da pista. Porém, os comissários consideraram que a Lotus saiu da pista durante a manobra e lhe deram um drive through. Enquanto isso, Massa mostrava dificuldades com os pneus e também foi superado por Button.

Na 31, Hamilton fez sua segunda parada, assim como Massa. O inglês voltou logo atrás de Webber. Três voltas depois, o inglês passou o australiano na curva 2 e foi para cima de Alonso, que fez sua segunda parada, assim como Vettel. O alemão novamente voltou atrás de Button, mas desta vez demorou menos para superar o inglês, que estava com pneus macios.

Quem perdeu tempo com Button foi Alonso, que passou a ser pressionado por Grosjean. Com 43 voltas completadas, Hamilton liderava com Webber em segundo, seguido por Vettel, Alonso, Grosjean, Raikkonen, Button, Massa, Rosberg e Maldonado.

Webber fez sua segunda parada e voltou à frente de Alonso, com ambos tendo de parar novamente. Na volta 47, Grosjean, que estava preso pelo espanhol, foi o primeiro a fazer a terceira parada. A Ferrari deu a resposta na volta seguinte. Como a parada da Lotus foi lenta, Grosjean ficou preso por Button e não conseguiu superar o espanhol.

Na 50ª volta, Hamilton fez sua terceira e última parada, voltando novamente atrás de Webber. Mas o inglês não perdeu tempo e foi ousado para retomar a posição do australiano na curva três. Quatro voltas depois, Vettel fez sua última parada e passou a perseguir Raikkonen, terceiro colocado, que iria até o final sem parar.

Com 10 voltas para o final, Webber fez sua terceira parada, voltando 12s0 atrás da briga entre Raikkonen e Vettel. Mas os pneus do australiano terminaram antes que ele pudesse entrar na disputa. Fazendo um excelente trabalho defensivo, Kimi se manteve na frente de Vettel, que chegou a reclamar da dureza do finlandês no rádio. Mesmo com o terceiro lugar, o alemão aumentou sua vantagem na ponta do campeonato em quatro pontos. Porém, agora Raikkonen é o vice-líder.

Vettel tem 172 pontos, contra 134 de Raikkonen, 133 de Alonso e 124 de Hamilton. A próxima etapa acontece na última semana de agosto, na Bélgica.

Classificação final do GP da Hungria:

1) Lewis Hamilton (Mercedes), 70 voltas
2) Kimi Raikkonen (Lotus), a 10s9
3) Sebastian Vettel (Red Bull), a 12s4
4) Mark Webber (Red Bull), a 18s
5) Fernando Alonso (Ferrari), a 31s4
6) Romain Grosjean (Lotus), a 32s2
7) Jenson Button (McLaren), a 53s8
8) Felipe Massa (Ferrari), a 56s4
9) Sergio Pérez (McLaren), a 1 volta
10) Pastor Maldonado (Williams), a 1 volta
11) Nico Hulkenberg (Sauber), a 1 volta
12) Jean-Eric Vergne (Toro Rosso), a 1 volta
13) Daniel Ricciardo (Toro Rosso), a 1 volta
14) G. van der Garde (Caterham), a 2 voltas
15) Charles Pic (Caterham), a 2 voltas
16) Jules Bianchi (Marussia), a 3 voltas
17) Max Chilton (Marussia), a 3 voltas

Não completaram:

Paul di Resta (Force India), Nico Rosberg (Mercedes), Valtteri Bottas (Williams), Esteban Gutierrez (Sauber) e Adrian Sutil (Force India)

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Hungria
Tipo de artigo Últimas notícias