Pneus auxiliaram estratégia em pista de difícil ultrapassagem, diz Pirelli

Para Paul Hembery, comportamento similar dos compostos macios e médios facilitaram táticas em Hungaroring

Marcas de pneus em Hungaroring

Para a Pirelli, a segunda-feira pós GP da Hungria serviu para analisar o comportamento de seus compostos na corrida e fazer um balanço da primeira metade da temporada, considerada positiva pela fornecedora.

"Tivemos uma primeira metade de temporada inesquecível, com o início mais apertado da história, no qual os pneus fizeram muita diferença", comentou o diretor esportivo, Paul Hembery, que destacou a proximidade entre os compostos médios e macios, que agitou mais a prova em Hungaroring.
 
"Por causa das condições do tempo até a corrida, as equipes não tinham muito tempo de rodagem em pista seca com o tanque cheio, então todos começaram com dúvidas. A degradação em ambos os compostos provaram ser boas, com apenas poucos décimos de diferença entre os pneus macios e médios, o que deu um leque de estrategia para as equipes, tornando a coisa mais flexível."
 
Hembery também analisou a tocada do vencedor Lewis Hamilton e destacou a importância da tática de pneus em uma pista de difícil ultrapassagem, como a da Hungria: "O ritmo de Hamilton na corrida significou que ele foi capaz de economizar um jogo de pneus macios para a corrida, que ele aproveitou ao máximo para liderar de forma impressionante, apesar de ter de lutar para mantê-la."
 
"Como sempre, vimos que as ultrapassagens foram muito difíceis em Hungaroring, o que significa que as equipes tentaram utilizar os pit stops para passar seus rivais. A variedade de estrategias fez com que tivessemos uma chegada bem apertada novamente, apesar do fato de que os carros, em comboio, gastem mais pneus, pois ficam instáveis com ar sujo", completa.
 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias