Pneus não serão problema em Montreal; freios, sim, diz Pat Fry

compartilhar
comentários
Pneus não serão problema em Montreal; freios, sim, diz Pat Fry
Por: Bruno Vicaria
7 de jun de 2011 15:09

Engenheiro compara pista semi-permanente de Montreal com Mônaco, na parte de tração, e Cingapura, na exigência com os freios

Primeira sequência de curvas de Montreal

Para o novo diretor técnico da Ferrari, Pat Fry, Canadá tem um pouquinho de Mônaco e Cingapura.

O inglês, que assumiu o posto de Aldo Costa na última corrida, destaca a exigência da tração (como em Monte Carlo) e dos freios (como em Cingapura) no circuito de Montreal, que é semi-permanente, mas afirma que os pneus não preocupam tanto neste fim de semana quanto nos anteriores, isso se o carro tracionar da maneira adequada.
 
"A corrida canadense pode ser um pouco como Mônaco, pois gira em torno de tração e freadas, apesar de os freios soferem mais estresse aqui. A tração e como os carros usam os pneus nas saídas de curva serão a chave para a vida dos compostos traseiros. Espero que tenhamos menos preocupações com o consumo de pneus em relação ao ano passado, uma vez que os compostos macios e supermacios estão mais duros", fala o inglês, chamando a atenção para os freios, que podem influenciar na parte aerodinâmica.
 
"A performance dos freios é muito ligada à aerodinâmica (por conta dos dutos de freio: quanto menores, melhor a eficiência do carro), então sempre tentamos andar com os freios bem quentes, assim conseguimos extrair mais performance. Montreal é uma pista extrema com os freios, assim como Cingapura. Na fábrica, usamos os freios em dinamômetros especiais para ajustar os níveis de resfriamento desejados, assim vemos a margem que temos e quão estremos podemos ser."
 
A escuderia italiana, inclusive, segue trabalhando e levará evoluções para a América do Norte: "Existe sempre uma gama de atualizações chegando e neste fim de semana teremos poucas mudanças no difusor e na asa traseira, que trarão um ganho de performance considerável se tudo der certo. Ainda estamos diminuindo a desvantagem para os que estão à frente, levando em conta que os outros também estão trabalhando."
 
Por fim, Fry comentou a nova fase dentro da escuderia: "Estou um pouco mais ocupado, o que não achei que fosse possível! É um ótimo desafio, existem muitas pessoas talentosas aqui trabalhando muito forte e, se pudermos nos unir para trabalhar em um tempo sensívelmente curto e também a longo prazo podemos evoluir rapidamente." 
 
Veja um programa de 15 minutos fornecido pela equipe, recheado de entrevistas com pilotos e equipe técnica:
 
Próxima Fórmula 1 matéria
Veja atuação dos freios na última chicane de Montreal

Previous article

Veja atuação dos freios na última chicane de Montreal

Next article

Todt defende calendário com 20 corridas em 2012

Todt defende calendário com 20 corridas em 2012

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP do Canadá
Autor Bruno Vicaria
Tipo de matéria Últimas notícias