"Podemos perder mais times se continuar assim", reclama chefe de equipe

compartilhar
comentários
Por: Julianne Cerasoli
27 de out de 2014 09:30

Comandante da Force India se queixa que decisões políticas e econômicas se restringem a cinco organizações

Com a crise na Caterham e na Marussia, o grid da Fórmula 1 terá 18 carros pela primeira vez desde o GP de Mônaco de 2005, quando a BAR foi punida e não pôde participar. Porém, estas não são as duas únicas equipes que estão em dificuldades financeiras e o chefe da Force India, Bob Fearnley, já avisou que as baixas podem aumentar.

[publicidade] “Ganhamos três novas equipes em 2010 e as três entraram em colapso”, analisou, citando os dois times que não participarão dos GPs dos Estados Unidos e Brasil, e a HRT, que faliu no final de 2012. “Estava escrito que seria assim.”

O britânico afirmou que, pela maneira como a Fórmula 1 está organizada, é difícil se manter no grid. “Apenas cinco equipes são ouvidas na administração da categoria – e vamos perder mais equipes se continuarmos assim. Se houvesse um controle de gastos e uma distribuição mais equitativa nas premiações talvez a Caterham e a Marussia não teriam falhado”, defende.
Próxima Fórmula 1 matéria
Ecclestone fala em obrigar times grandes a 'emprestar' carros

Previous article

Ecclestone fala em obrigar times grandes a 'emprestar' carros

Next article

Marussia é confirmada como nova baixa no grid da Fórmula 1

Marussia é confirmada como nova baixa no grid da Fórmula 1
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Julianne Cerasoli
Tipo de matéria Últimas notícias