Polícia descarta abrir processo criminal em caso Schumacher

Franceses não encontraram irregularidades na sinalização do resort onde o alemão esquiava ou em seu equipamento

As autoridades francesas anunciaram que não haverá indiciamentos no caso do acidente de esqui sofrido por Michael Schumacher no final do ano passado. O alemão segue internado na França em coma induzido.

O anúncio acaba com a chance de processo criminal contra resort onde o alemão esquiava ou os fabricantes do equipamento que o ex-piloto utilizava. Sabe-se que o acidente aconteceu quando Schumacher estava fora da pista delimitada para a descida, perdeu o controle em uma rocha e bateu a cabeça em outra, 10 metros depois. O impacto quebrou seu capacete e causou sérias lesões cerebrais.

As imagens da câmera que Schumacher usava presa a seu capacete no momento do acidente ajudaram a polícia francesa a investigar o ocorrido. Porém, a academia de esqui e escalada do país está estudando se a presença do objeto ajudou a enfraquecer a estrutura do capacete. “O capacete se quebrou completamente. Pelo menos em duas partes. A ENSA analisou um pedaço para checar o material e estava tudo ok. Mas por que ele explodiu? É aí que a câmera entra na equação. O laboratório tem testado isso para ver se a câmera enfraqueceu a estrutura”, afirmou uma fonte da entidade.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias