Políticos britânicos pedem para F-1 não ir ao Bahrein

Cidadão do Reino Unido é atacado em país e grupo escreve carta aberta a jornal pedindo para prova, marcada para 22/4, não acontecer

Michael Schumacher treina com a Mercedes

Em uma carta aberta publicada no jornal inglês "The Times", políticos britânicos pediram para a Fórmula 1 reconsiderar a ideia de disputar o GP do Bahrein neste ano.

A prova foi cancelada em 2011 por conta de conflitos políticos e sociais e confirmada para 2012, mas,nos últimos dias, um britânico teve os dedos arrancados após ser atacado na cidade de Karranah, perto de Manama, capital do país.
 
Por conta disso, os Lordes Ahmad de Wimbledon, Ahmed de Rotherham, Alton, Avebury, Hylton, Boswell, a baronesa Falkner de Margravine e Caroline Lucas, membros da Casa dos Lordes, decidiram se manifestar.
 
"Dada a atual situação, com protestos diários nas ruas e mortes de mais civis, não acreditamos que o tempo é ideal para a F-1 retornar ao Bahrein", comentou o grupo, em uma carta. Mês passado, em entrevista ao jornal Salzburger Nachrichten, Bernie Ecclestone minimizou o problema.
 
"Muitos falam demais sobre esta parte do mundo, mas o Bahrein é o país da região que possui os menores problemas", comentou o chefão da categoria.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Bahrein
Tipo de artigo Últimas notícias