Por férias de verão, equipes pedem alteração no calendário de 2016

Os times da F1 pediram a Bernie Ecclestone para ajustar o calendário provisório da próxima temporada; objetivo é manter a pausa de verão nos moldes atuais

As equipes da Fórmula 1 pediram a Bernie Ecclestone para rever o calendário da temporada 2016 com o intuito de manter a pausa de verão nos moldes atuais – três finais de semana livres entre os GPs da Hungria e da Bélgica. Dentro deste período, há o fechamento das fábricas das equipes por duas semanas – as esquadras têm liberdade para decidir quando utilizar esse período dentro da pausa.

O objetivo do fechamento, durante o qual as equipes são obrigadas a desligar os computadores, é permitir que todos os funcionários tenham um período de descanso. Além disso, a pausa também permite aos times realizarem manutenções nas instalações, incluindo os túneis de vento.

No entanto, no calendário aprovado pelo Conselho Mundial da FIA para o próximo ano, essa pausa foi reduzida de três para dois finais de semana. O ajuste é complicado, pois há finais de semanas consecutivos antes e depois da pausa de verão – Alemanha/Hungria antes, Bélgica/Itália depois.

Fontes sugerem, entretanto, que o GP da Alemanha ainda corre risco de sair do calendário, o que permitiria o ajuste desejado pelas equipes. Os chefes das esquadras levaram a questão até Charlie Whiting no final de semana do GP da Hungria, indicando que eles não desejam encurtar as férias de verão antes de explorar todas as possibilidades de alterar o calendário.

Para equipes, pausa de verão é vital

Mais tarde, alguns chefes de equipe pressionaram Ecclestone sobre o assunto, deixando claro para ele que eles consideram agora o desligamento como essencial.

"A pausa é algo muito importante. O calendário da F1 é exigente para todos os envolvidos, não só para as equipes, mas para o pessoal de apoio dos eventos, da FOM, da mídia. É um período fundamental para recuperar o fôlego. Temos conversado sobre isso com Bernie (Ecclestone) para ver se conseguimos mover o calendário depois de Outubro", disse Christian Horner, chefe da Red Bull, ao Motorsport.com.

"Não há nada de novo em fazer mudanças no calendário, mas há uma sequência de corridas consecutivas em um curto período de tempo. Os ajustes são normais, por isso não me surpreenderia se houvessem alterações”, ressaltou o dirigente.

Eric Boullier, chefe da McLaren, também entende que a pausa de verão deve permanecer com a duração atual: "Precisamos dessa pausa para as pessoas poderem descansar. Estamos discutindo o tema, para saber quando e quanto tempo teremos. Sempre há pequenos ajustes no calendário, de modo que devemos esperar até o final do ano", entende Boullier.

"De ponto de vista da Williams, o (período de) fechamento da fábrica é importante. O calendário é longo e árduo, as pessoas se dedicam intensamente às corridas e, consequentemente, fazem alguns sacrifícios. Essas duas semanas permitem a eles um tempo com as respectivas famílias, um pouco de vida normal", disse Claire Williams, vice-diretora do time de Grove, ao Motorsport.com.

"Não ter esse tempo é algo que nos preocupa. Se eu tivesse uma conversa com Bernie, apresentaria argumentos para mostrar porque (a pausa de verão de três semanas) é importante", concluiu Claire.

Já Ecclestone, por outro lado, disse ao Motorsport.com que, no momento, não se antecipará a falar sobre quaisquer alterações no calendário.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias