Prefeitura abandona plano inicial e manterá local dos boxes em Interlagos

Mudança foi decidida pensando em não descaracterizar circuito e também na diminuição dos custos

O TotalRace apurou que, ao contrário do plano inicial visando a reforma que será feita em Interlagos para 2015, a Prefeitura de São Paulo decidiu que manterá os boxes em sua área atual, na reta principal, em vez de remanejá-los para a reta oposta. A divulgação dessa mudança de planos será feita nas próximas semanas.

O principal motivo alegado é que a alteração descaracterizaria aquilo que é uma das principais marcas do circuito e até do calendário da F1 atual: a largada seguida do mergulho no ‘S do Senna’. Esta pedaço da pista estaria em uma lista de locais marcantes da F1, como a Eau Rouge, em Spa, a entrada do Estádio, em Hockenheim, a Rascasse e o túnel de Mônaco, as curvas Di Lesmo e Parabólica, em Monza, entre outras. A própria chegada, após a cuva do ‘Café’ é outra parte marcante de Interlagos que acabaria perdendo apelo.

Além da descaracterização do circuito, foi considerada também a questão financeira. Reformar os boxes na área atual, ao invés de remanejá-los para o outro lado do autódromo, custará bem menos aos cofres públicos.

LEIA MAIS:





Em 2013, durante o GP do Brasil, o prefeito Fernando Haddad, em entrevista à Rádio Bandeirantes, já havia sinalizado que poderia haver uma mudança de planos em relação à reforma. Na ocasião, Haddad alegou exatamente a descaracterização do circuito e a diminuição dos custos.

No plano atualizado, que será divulgado nas próximas semanas, está previsto que a área que antecede o Paddock será incorporada ao Paddock, o que dará mais espaço para que as equipes possam trabalhar, e permitirá que sejam instalados mais 2 ou 3 boxes novos. As obras devem começar após o GP do Brasil, previsto para 11 de novembro.

Antes, nos meses de julho e agosto, o Autódromo de Interlagos será fechado para que seja trocado o asfalto da pista. A última troca de asfalto ocorreu em 2007 e acabou com um problema crônico que existia no circuito paulistano: as ondulações. O asfalto atual durou sete anos, mais do que os cinco anos previstos inicialmente.

Também está em discussão uma alteração na entrada dos boxes, que é considerada perigosa atualmente. Na última edição, Felipe Massa acabou sendo punido por ultrapassar a linha que delimitava a entrada para o pit. A regra tinha sido criada pela FIA justamente para aquele GP.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Tipo de artigo Últimas notícias