Presidente: dar motores à Red Bull poderia destruir Ferrari

Sergio Marchionne justifica escolha de não fornecer unidades de potência a time tetracampeão do mundo

Após uma temporada ruim em 2014, quando tiveram muitos problemas com a potência de seus carros, a Ferrari melhorou bastante seu pacote em 2015. O time investiu sensivelmente em seu motor utilizando os tokens de desenvolvimento.

Com o vice-campeonato entre os construtores e três vitórias no ano, o time não quer ajudar seus rivais de forma alguma. Por isso, o presidente da montadora, Sergio Marchionne, diz que não tem interesse em ceder a Red Bull seus motores no futuro.

"Tivemos que lidar com algumas incertezas próprias e tivemos que diminuir nossa desvantagem técnica", disse Marchionne, que vetou o fornecimento ao time austríaco neste ano.

"Para nós, conceder uma unidade de energia equivalente a uma equipe com design e capacidade técnica para competir conosco poderia ser perigoso para a competitividade da Ferrari.”

"Meu principal compromisso é apoiar e proteger a Ferrari. Não estou interessado em derrotar a Mercedes com a Red Bull.”

"Se alguém disser: ‘vamos usar o motor da Ferrari para que possamos derrotar Mercedes’, não estou interessado neste argumento. Eu quero ver a Ferrari ganhar.”

"Sabemos que as habilidades de Red Bull são boas, eles nos destruíram com Sebastian Vettel."

A Ferrari forneceu em 2015 motores a Sauber e Manor, e Marchionne afirmou em junho que a empresa estaria "feliz" de fornecer para a Red Bull também.

Mas o italiano disse que não faria sentido para a Ferrari gastar centenas de milhões em desenvolvimento para ser derrotada.

"Se olharmos para a Red Bull investindo quantias importantes em chassis, equipá-los com uma unidade de potência por um preço determinado reflete um investimento muito maior do que o que pagam. É a desigualdade na pista", disse ele.

"Nós não estamos interessados ​​nisso."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Ferrari
Tipo de artigo Últimas notícias