Presidente de GP barenita critica protestos contra corrida

"O que vem acontecendo é que os observadores poltrona que não foram suficientemente interessados ou empenhados em investigar a situação"

Circuito do Bahrein

Segundo o presidente do GP do Bahrein, Zayed al Zayani, a crise em relação à realização da corrida do dia 22 de abril se deve a "extremistas alarmistas" e "observadores de poltrona".

Segundo o dirigente, não há razão para a corrida em Sakhir ser cancelada pelo segundo ano consecutivo: "O que vem acontecendo é que os observadores poltrona, que não foram suficientemente interessados ou empenhados em investigar a situação, estão impulsionando esse debate em detrimento das partes neutras que tomaram o cuidado de investigar a situação em primeira mão."
 
"Isto, combinado com as táticas alarmistas de alguns pequenos grupos extremistas em redes sociais, criou enormes equívocos sobre a situação atual", continua Zayani, enquanto os times e dirigentes de F-1 armam para se reunirem na China para definir uma resposta sobre a realização ou não na corrida. Para Zayani, quem foi ao Bahrein nos últimos dias, gostou do que viu.
 
"Temos recebido um número de pessoas para o Bahrein ao longo dos últimas semanas, que têm sido capazes de descobrir que o estamos prontos para receber a F-1", completa.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias