Pressionada, FIA volta atrás e alivia proibição aos rádios

Restrições às instruções para os pilotos continuam valendo, mas equipes agora podem informar sobre questões técnicas

A pressão das equipes funcionou e parte das proibições nas comunicações entre piloto e engenheiro foi cancelada pela Federação Internacional de Automobilismo.

[publicidade] A alegação dos dirigentes foi de que, com a determinação anterior, haveria um aumento de gastos e uma menor confiabilidade, pois muitos teriam de desenvolver um novo volante e havia o temor de que os carros quebrassem mais porque os pilotos não teriam controle de algumas áreas, como a temperatura dos freios, por exemplo.

Assim, foram liberadas as informações sobre os sistemas operacionais dos carros. Contudo, os aconselhamentos visando aprimorar a performance do carro ainda estão banidos. Também foi acordado que uma proibição mais extensa será adotada a partir da próxima temporada.

Confira quais as informações banidas a partir do GP de Cingapura:

Uso de zebras e estratégias de pilotagem, comparações com outros pilotos

Seleção de marchas em comparação a outro piloto

Pontos de frenagem e qualquer informação a respeito de frenagem e aceleração

Parâmetros de acerto do carro

Uso de DRS e estratégias de ultrapassagem

Qualquer informação sobre técnica de pilotagem

Em comunicado, a FIA explicou que “parece para nós que a informação passada para o piloto em relação à performance de seu carro deve ser separada da informação sobre sua própria performance. Ficou claro que a primeira é muito complicada e que qualquer lista de restrições impostas repentinamente teria um efeito significativamente diferente dependendo da equipe.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias