Pressionado, Boullier defende sua liderança na McLaren

Diretor esportivo da McLaren, Eric Boullier insiste que ele ainda é o homem correto para liderar a equipe de volta ao sucesso, apesar de um início frustrante de temporada.

Enquanto a McLaren deu um passo à frente em termos de confiabilidade desde que mudou do motor Honda ao Renault, a equipe ainda não está perto de onde quer estar.

Atualmente, ela tem 40 pontos, metade da quantidade obtida pela Red Bull, que também usa os motores franceses, e contra 41 da equipe oficial da Renault.

A recente saída de Tim Goss do posto de diretor técnico foi o primeiro sinal de reestruturação ao corpo de engenharia, mas Boullier não prevê mudanças adicionais na liderança da equipe.

Questionado se acreditava que ainda era o homem correto para liderar a McLaren nessa recuperação, Boullier disse: “Sim, acho que sim.”

“É um trabalho duro. Há muitas expectativas, obviamente da McLaren e de um monte de gente.”

“No meu passado, estive administrando, reconstruindo e reestruturando algumas equipes, e venci em todas elas, em qualquer categoria.”

“Acho que conheço meu trabalho, e precisamos garantir que possamos fazê-lo, entregá-lo em tempo. O momento precisa ser correto, sem expectativas erradas.”

“Não são necessárias ordens. Sabemos o que precisamos fazer. Precisávamos melhorar a confiabilidade e a performance.”

“Temos agora outras equipes com a mesma unidade de potência, então pelo menos temos alguma referência naquilo em que estamos trabalhando. É um longo caminho a percorrer.”

Questionado sobre as potenciais áreas de melhora, ele disse: “Em um mundo ideal, eu diria que em uma equipe de F1, especialmente, você quer ter uma liderança forte em cada estágio, com boa comunicação, sendo o mais eficiente, fluído e flexível possível.”

“Parecem palavras genéricas, mas é onde temos que lidar com esses pontos se acreditamos que ainda nos falta alguns deles.”

Boullier reconheceu que manter a equipe motivada é uma área importante das suas responsabilidades. 

“Acho que é parte de qualquer líder ou gerente garantir que o moral de sua tropa esteja o mais alto possível.”

“Como disse antes, o errado é ter a expectativa errada. Então, somos muito transparentes com nossa equipe.”

“Eles sabem exatamente o que estamos fazendo na pista, eles sabem exatamente quais são nossas impressões da pista. Fazemos o mesmo com as pessoas em toda a empresa, então, pelo menos, não há expectativas erradas.”

Ele se recusou a dar mais detalhes das mudanças na equipe técnica como consequência da saída de Goss.

“Não, não queremos comentar muito sobre o que estamos fazendo. Obviamente estamos tentando ser os melhores, e ser os melhores significa também ver como podemos ser mais eficiente em nossa organização.”

“Há melhora constante em tudo, é parte da vida de uma equipe de F1, continuar olhando e ver como entregar mais e de forma melhor.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias