"Problema de Raikkonen é psicológico", aponta Felipe Massa

compartilhar
comentários
Por: Julianne Cerasoli
20 de out de 2014 08:57

Brasileiro reconhece que teve dificuldades de dividir a equipe com Alonso: "Tem de ser perfeito para batê-lo"

Uma das maiores decepções da atual temporada da Fórmula 1, Kimi Raikkonen diz que seu problema é a adaptação com o carro da Ferrari, equipe para a qual se transferiu neste ano após duas temporadas de sucesso na Lotus. Porém, o ex-dono da vaga em Maranello, Felipe Massa, atesta: o problema é enfrentar, com o mesmo equipamento, o “piloto mais forte do grid”, Fernando Alonso.

[publicidade] O brasileiro foi companheiro do espanhol por quatro anos. “Acho que o problema de Kimi é psicológico”, afirmou ao Lance! “Também sofri muito quando o Alonso chegou. Sem dúvida o Kimi é muito melhor do que ele está mostrando, basta ver o que ele já fez no passado. Mas, com o Alonso na equipe, ele acabou perdendo um pouco a cabeça e não está fazendo o trabalho que ele é capaz de fazer. Eu também sofri com isso mas acabei melhorando, só que não foi fácil.”

Após 16 etapas disputadas neste ano, o finlandês tem 94 pontos a menos que o espanhol, o que corresponde a apenas 25% dos pontos da Ferrari. Mesmo admitindo ter tido dificuldades contra Alonso, Massa nunca terminou uma temporada com uma porcentagem tão ruim quanto a de Raikkonen.

“A gente vive de detalhes e, se o psicológico não funciona, você fica incapaz de fazer um trabalho perfeito. É fácil inventar agora que o Kimi está desmotivado como comigo falavam que era o acidente. O Kimi não teve nenhum grande acidente. É o lado da cabeça que pesa bastante.”

Massa reconhece que a situação é difícil de ser revertida. “O Alonso, na minha opinião, é o piloto mais forte do grid. Se você não for perfeito, é muito difícil ficar na frente dele. É preciso ser perfeito a cada corrida para ter a chance de ficar na frente dele. E ele também é muito inteligente e, em função de seu talento, consegue trazer a equipe para o lado dele”, avaliou o brasileiro.

“Isso é o que faz o outro piloto sofrer. Sem estar perfeito, você não consegue resultados e, sem eles, não consegue trazer a equipe para o seu lado. Quando você vê que o outro piloto consegue atrair mais atenção do time e que você está ficando de lado, é difícil de reverter a situação.”
Próxima Fórmula 1 matéria
Todt rebate críticas sobre postura da FIA no acidente de Bianchi

Previous article

Todt rebate críticas sobre postura da FIA no acidente de Bianchi

Next article

Kubica estuda passar por mais cirurgias para tentar voltar à F-1

Kubica estuda passar por mais cirurgias para tentar voltar à F-1
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Julianne Cerasoli
Tipo de matéria Últimas notícias