Problema no freio quase tirou Rosberg da prova, diz Mercedes

Chefe Toto Wolff diz que equipe por pouco não pediu para vencedor do GP da Austrália abandonar prova

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, admitiu que o vencedor do GP da Austrália, Nico Rosberg, correu um grande risco de não conseguir encerrar a prova devido ao aumento das temperaturas do compasso de freio.

Rosberg, rodando em uma estratégia de uma parada, encabeçou uma dobradinha da Mercedes para a sua quarta vitória consecutiva, terminando oito segundos à frente do atual bicampeão Lewis Hamilton. Mas, como Wolff admitiu, o vencedor da corrida esteve longe de navegar em bons ventos.

"Tivemos um problema no carro de Nico com as temperaturas do compasso de freio que se mantiveram subindo, quase a um estágio onde nós pensamos em tirar o carro da pista", disse ele.

"Isso ocorreu em dois terços da corrida. Foram detritos que pegamos. Em seguida, ele estabilizou em em valor máximo. E então começou a cair novamente, muito lentamente, e recuperou. (Mas) em um certo estágio foi muito difícil para a equipe de manusear".

"Nico não sabia. Você não pode dizer a ele. O aviso poderia ser dado (se fosse perigoso), mas estávamos realmente superperto disso e não há nada que você possa fazer sobre isso"

Largada

O GP da Austrália se tornou uma batalha difícil para a Mercedes após a largada, com Rosberg e Hamilton caindo para terceiro e sexto, respectivamente, na primeira volta. "Ontem (sábado), nossos começos de treino não foram muito bons", lembrou Wolff.

"Nós não temos bem a certeza se isso iria causar um problema na corrida ou não".

"Para ser honesto, eu não sei o que aconteceu no início, precisamos analisar o que poderia ter sido e vamos olhar para o que aconteceu

Reportagem adicional de Roberto Chinchero

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Pista Melbourne Grand Prix Circuit
Pilotos Lewis Hamilton , Nico Rosberg
Equipes Mercedes
Tipo de artigo Últimas notícias