Problemas com a lei não afetam futuro da Force India, diz chefe

Robert Fernley defende o dono do time, Vijay Mallya, que recebeu mandado de prisão por cheques sem fundo na Índia

A Force India está garantida no grid em 2013. É o que afirma o chefe da equipe, Robert Fernley, mesmo com o mandado de prisão contra o dono do time, Vijay Mallya.

Fernley assegurou que os problemas do indiano com a justiça, relacionados a cheques sem fundos no valor de cerca de dois milhões de dólares no nome de sua empresa aérea, a Kingfisher, não têm ligação direta com o futuro da equipe de F-1. “É uma ofensa na Índia dar cheques sem fundo, e não sei por que isso foi feito. É algo que vem de uma posição muito abaixo de Vijay, ele não teria noção nenhuma de que isso estaria acontecendo. Acho que há um mandado, mas não acredito que tenha sido emitido”, afirmou à Reuters. “Fico triste com o noticiário, porque acho que provavelmente tenha a ver com a politicagem indiana. É óbvio que Vijay é um alvo no momento, mas isso não afeta a equipe. Não há qualquer relação. Por algum momento, nós da F-1 acreditamos em nossa importância, mas, no mundo de Vijay, o programa de F-1 é relativamente pequeno”.

Fernley, inclusive, disse acreditar que o dono da Force India estará no pitwall da equipe no próximo GP, justamente em seu país natal.

Em meio ao imbróglio envolvendo seu dono, a Force India ainda não se pronunciou a respeito da dupla de pilotos para 2013. O time de Di Resta e Nico Hulkenberg demonstrou o interesse em manter a dupla, mas agora cabe aos pilotos decidirem pela permanência. “Nós exercemos nossa opção para nossos pilotos, e agora é o momento deles retornarem. Não esperamos nenhuma mudança, porque temos dois grandes pilotos”.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Paul di Resta , Nico Hulkenberg
Tipo de artigo Últimas notícias