Problemas com os pneus assolam equipes do fim do grid em Sepang

Forte calor e degradação acentuada de compostos foi o que mais se ouviu das nanicas neste sábado

O fundão do grid para a etapa malaia

O forte calor de Sepang está sendo cruel com as equipes de menor infraestrutura. Sem achar um acerto tão bom quanto os das equipes de ponta, as pequenas sofrem com desgastes físicos e de pneus para o GP da Malásia.

Vale ressaltar também que finalmente haverá os 24 carros largando para a prova deste domingo. A HRT conseguiu encaixar seus dois F1 dentro do limite dos 107% e vai largar pela primeira vez na temporada.

Confira o que disseram os pilotos da Force India, Toro Rosso, Caterham, Marussia e HRT neste sábado:

Paul di Resta, Force India – 14º: "Nós definitivamente melhoramos o carro entre o treino livre e a qualificação, mas foi uma sessão difícil e ela ficou um pouco mais quente durante essas duas horas. Minhas voltas no Q2 foram boas, especialmente nos setores um e dois, mas eu talvez tenha perdido no setor final, onde nunca consegui dar tudo. Acho que P14 é um lugar razoável para começar e espero que nosso ritmo de corrida e nossa gestão de pneus sejam bons. A outra variável é o tempo, porque há sempre um risco elevado de chuva no final da tarde."

Daniel Ricciardo, Toro Rosso, 15º: “O desempenho de hoje foi bom, mas não tanto quanto no último sábado, quando entrei no Q3. Os tempos estavam muito próximos e um décimo poderia ter feito a diferença. Espero que tenhamos um bom carro para a corrida e tentarei chegar nos pontos. Temos 56 voltas para recuperar posições e nossa sequência longa de voltas ontem não foi ruim.”

Nico Hulkenberg, Force India – 16º: "Você tem que olhar para os tempos para ver como as coisas estavam próximas hoje. Metade de um décimo teria me dado dois ou três lugares hoje no grid. Ao mesmo tempo encontrar esse décimo era muito difícil, pois utilizei o máximo do carro. Agora é focar tudo para correr bem e usar a estratégia para tentar sair com um bom resultado. Depois de já ter perdido a maior parte do fim de semana na última corrida em Melbourne, é quase como se essa fosse a minha primeira corrida do ano, por isso espero que eu possa ir longe e ter um forte desempenho. Degradação dos pneus será um fator chave na corrida e a chance de chuva também pode misturar as coisas."

Jean-Eric Vergne, Toro Rosso, 18º: “Claro que estou um pouco desapontado com o resultado. Cometi um erro na primeira curva, tive de voltar para os pits e minha classificação estava acabada. Olhando pelo lado positivo, quer dizer que economizamos um jogo de pneus médios para a corrida. O carro é praticamente o mesmo de Melbourne, então esse resultado tem a ver com o fato do meio do pelotão estar muito apertado.”

Heikki Kovalainen, Caterham – 19º: "Foi uma sessão de classificação estranha. Eu perdi tempo com meu segundo jogo de pneus macios. Cometi alguns pequenos erros e senti que a aderência na parte traseira não era o bastante. A chuva que foi prevista ainda não caiu durante uma sessão, mas quem sabe o que pode acontecer amanhã? Vou fazer de tudo para chegar ao fim da prova e ver onde estamos.”

Vitaly Petrov, Caterham – 20º: "Nós tínhamos uma estratégia bastante agressiva aqui para a qualificação, mas não foi o bastante.  Eu realmente não tinha um bom equilíbrio no carro. Acho que precisamos gastar um pouco mais de tempo olhando como obter o máximo dos pneus. Estou ansioso para amanhã. O carro estava ótimo no último domingo e nos longos stints que fizemos aqui, tem sido mais estável, por isso nosso objetivo é ter um bom começo, evitar quaisquer problemas nas primeiras curvas e continuar a lutar por posições."

Timo Glock, Marussia – 21º: "Foi um dia duro para mim hoje. O carro estava muito bom esta manhã com pneus duros, e eu estava muito confiante com o pneu macio. Por alguma razão, lutei maciçamente com o pneu, assim como ontem, e eu perdi completamente o equilíbrio do carro. Fui mais lento com os médios em comparação com qualquer outro. Consegui fazer duas boas voltas, mas realmente não tinha a confiança com o pneu. Cometi dois pequenos erros e isso me custou um ou décimo dois décimos. A equipe fez um grande trabalho e novamente não tivemos problemas técnicos. Vamos esperar a corrida agora."

Charles Pic, Marussia – 22º: "Para mim foi uma boa qualificação e um outro bom dia. Estive um pouco mais perto do Timo do que na Austrália, o que é o meu melhor ponto de referência por agora.  Eu acho que ainda há alguns décimos a encontrar, mas no geral foi um passo positivo. Hoje foram apenas algumas voltas, no entanto amanhã serão 56. Acho que vai ser uma corrida difícil, o tempo ainda está incerto, o que será interessante para todos. Foi um bom trabalho do time nessas condições.”

Pedro de la Rosa, HRT, 23º: “Desde a primeira volta na manhã senti que o carro tinha melhorado notavelmente. Abaixamos o tempo em mais de um segundo de ontem para hoje e toda vez que modificamos algo somos mais rápidos. Agora temos de ver como será amanhã, pois será a primeira vez que faremos tantas voltas e não será fácil com esse clima.”

Narain Karthikeyan, HRT, 24º: “Tivemos de mudar um pouco a nossa estratégia por problemas de aquecimento, e funcionou, então agora temos de nos concentrar em superar essas questões para terminar a corrida. Chover seria melhor para nós, porque mantém o carro um pouco mais fresco.”
 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Malásia
Pilotos Pedro de la Rosa , Narain Karthikeyan , Heikki Kovalainen , Paul di Resta , Timo Glock , Vitaly Petrov , Nico Hulkenberg , Daniel Ricciardo , Charles Pic
Tipo de artigo Últimas notícias