Problemas de Barrichello continuam e brasileiro nem vai à pista

Como seu companheiro Maldonado sofrerá punição pela troca de motor, a Williams fechará a última fila em Abu Dhabi

Final de semana de Barrichello não vai nada bem

O motor é outro em relação àquele que parou na primeira sessão de treinos livres para o GP de Abu Dhabi, mas os problemas persistem para Rubens Barrichello. O piloto da Williams, que já havia ficado praticamente de fora da terceira sessão de treinos, horas antes da classificação, sequer foi à pista no treino que definiu as posições de largada.

“A gente teve um problema de motor nesta manhã. Depois de duas voltas, ele apresentou uma perda de óleo. Tentaram retificar, mas antes da classificação me falaram que não tinha condições, então tive de ficar de fora.”

A quebra abre a possibilidade de que Barrichello tenha de usar o nono motor na corrida de amanhã, o que lhe custaria a perda de dez posições. Menos mal, se isso tiver de acontecer, que seja em Abu Dhabi, pois o brasileiro já está garantido na última fila.

“O motor é o oitavo, está dentro da nossa planilha. Tem de ver se este propulsor estará bom para amanhã ou não – porque há algumas coisas que se pode fazer dentro do regulamento. O que mais me importa já não é Abu Dhabi, mas o Brasil. Não posso aceitar perder dez posições [no grid] em casa. Vou fazer de tudo para que, se tiver penalização, que seja paga aqui.”

Com a punição de Maldonado, o brasileiro larga em 23º e o companheiro, em 24º. Porém, no caso de uma troca de motor também por parte de Barrichello, as posições se invertem. A equipe só deve decidir o que fazer amanhã.

Falando ao TotalRace, o piloto da Williams brincou com a situação e afirmou que o momento é de calma.

“Este final de semana é para rir. Não andei na primeira e na terceira sessões de treinos livres, na classificação. O pessoal está tentando me dar férias antecipadas, mas eu não estou afim de receber. O que eu quero mesmo é que eles resolvam o problema. O momento é difícil e, nessa hora, a gente tem de sorrir, apoiar e dar carinho. De resto não há o que fazer. No passado, eu já bati porta e não resolveu nada. O momento é de manter a calma e tentar realmente arrumar o problema.”

Seu companheiro Pastor Maldonado fez o 17º tempo, mas vai perder 10 posições pelo uso do nono motor no ano.

“É uma corrida longa e precisamos de uma boa estratégia para ter um resultado positivo. Ainda não decidi 100% e vamos continuar trabalhando hoje para ter certeza de que tenhamos a melhor chance. Vou dar meu melhor e sei que a equipe também. Precisamos estar confiantes.”

(colaborou Luis Fernando Ramos, de Abu Dhabi)

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento Abu Dhabi GP
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias