Projetista da McLaren de 1988 critica F1s atuais: "uma pena"

Gordon Murray lamenta perda de identidade e liberdade na Fórmula 1 com o passar das décadas

Projetista de carros que levaram Ayrton Senna e Nelson Piquet a títulos mundiais na Fórmula 1, Gordon Murray lamentou o momento atual do campeonato mundial. Para ele, é uma pena que atualmente todos os carros tenham praticamente o mesmo desenho.

"Não há muito o que dizer realmente sobre os carros atuais do ponto de vista da estética - acho que é uma pena", disse Murray.

"Eu não me importo com o fato de que eles estão totalmente dominados pela aerodinâmica, porque considero que os regulamentos os obrigam a parecerem praticamente iguais.”

"É o antigo negócio de colocar todos em uma sala, pintá-los de branco e dar a alguém 30 segundos para identificá-los. Eu não acho que conseguiria. Este é o pouco que eu realmente não gosto."

Murray acredita que teve sorte de ter trabalhado na F1 em um momento em que havia muito mais diversidade entre os carros, o que significava poder criar desenhos de carros distintos, como o Brabham BT52 de 1983.

"Eu estava na Fórmula 1 nos anos 70 e 80, e estas foram as duas décadas em que você teve mais liberdade, principalmente em onde colocar as principais massas no carro", disse Murray.

"Uma vez que os regulamentos passaram a ditar onde o piloto deveria estar, onde o combustível deveria estar e onde o motor deveria estar, tudo ficou preso. Antes, você poderia colocar o piloto atrás e na frente, o mesmo com combustível e motor."

Veja mais (em inglês):

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Conteúdo especial