Punido, Ricciardo foca boa corrida “inédita” no Brasil

Australiano admite superioridade da Mercedes e espera não ter mais problemas com unidade de potência

Daniel Ricciardo foi o terceiro mais rápido na parte da tarde, no segundo treino livre para o GP do Brasil. A diferença entre ele e Lewis Hamilton foi de pouco mais de dois décimos.

Mesmo tendo que pagar uma punição de 10 lugares no grid por conta de uma troca de componentes de sua unidade de potência, o piloto da Red Bull saiu satisfeito da sexta-feira de Interlagos.

Mas, ele também explicou a troca que o fez ter a penalidade.

“Acho que não tínhamos escolha, no fim das contas. Tínhamos que fazer isso. Tomara que possamos não ter problemas aqui para não trocar novamente em Abu Dhabi, acho que lá poderemos ir melhor.”

“Talvez possamos encontrar um pouco mais de tempo, mas não vamos precisar fazer muitas mudanças hoje à noite. A Mercedes está bem rápida, mas sempre foi rápida por aqui. Temos que nos focar em nós, e hoje fomos bem.”

Assim como Sebastian Vettel, que afirmou que a briga da Ferrari seria com a Red Bull em São Paulo, Ricciardo também elegeu a Mercedes como o carro a ser batido em Interlagos.

“Ainda não olhei, [o ritmo dos outros carros] mas parece que a Mercedes continua mais rápida que todo mundo. Eu e Max começamos com pneus diferentes, ele no macio e eu com o supermacio. É difícil comparar, mas diria que no momento estamos perto.”

Mesmo não podendo começar o GP do Brasil nas cinco primeiras filas, a mensagem de Ricciardo, como sempre, é otimista.

“Acho que a classificação pode ser emocionante. Mesmo sabendo que se marcar a pole não vou largar de lá, podemos ter uma boa chance de tê-la. Nunca tive uma boa corrida aqui no Brasil, e esta será meu foco.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Sub-evento Sexta-feira - Treino Livre 2
Pista Interlagos
Pilotos Daniel Ricciardo
Tipo de artigo Últimas notícias