Raikkonen, após 3º no Brasil: “Era impossível ultrapassar”

Finlandês admite sufoco nas voltas finais, mas reconhece dificuldade em ganhar posições no circuito de Interlagos

Terceiro colocado no GP do Brasil, em Interlagos, Kimi Raikkonen enalteceu a dificuldade em ganhar posições diante de rivais com equipamento semelhante e em condições de pneus parecidas.

O finlandês abriu a segunda fila no grid brasileiro e por lá permaneceu durante a prova inteira, sem conseguir ameaçar seu compatriota Valtteri Bottas na luta pela segunda posição.

Raikkonen admitiu que enfrentou um sufoco nas voltas finais, quando sofreu pressão de Lewis Hamilton, mas afirmou que, no cômputo geral, o GP do Brasil lhe foi difícil para disputas por posição.

“Não foi o tempo inteiro [que enfrentou pressão], foi apenas no fim. Tive um equilíbrio complicado no primeiro trecho, sendo que o segundo jogo de pneus foi bom. Consegui encostar nos caras, mas era impossível passar em situação de velocidade semelhante”, analisou o campeão de 2007.

“Ele [Hamilton] se aproximou de mim, eu me aproximei de Seb e Valtteri, mas não fiquei muito preocupado. Tive uma boa saída na última curva, então foi tudo bem”, completou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Pista Interlagos
Tipo de artigo Últimas notícias