Raikkonen: "Até hoje, não bati, mas um dia chegará minha vez"

Despreocupado com desempenho ruim de Mônaco, finlandês garante que é fácil se perder nas chicanes de Montreal

Raikkonen venceu no Canadá em 2005

 

Não adianta procurar: o homem de gelo Kimi Raikkonen não demonstra qualquer preocupação com o desempenho ruim do GP de Mônaco, no qual chegou como o favorito de muitos. O finlandês acredita que a falta de performance de sua Lotus foi circunstancial.

“Não teve nada a ver com o pneu em Mônaco, mas sim com o circuito e o clima. Não estou preocupado. Deveremos ir bem aqui, contado que façamos nossa parte. É o mesmo que toda a corrida. Devemos ter um bom ritmo e, se acertarmos o carro para as freadas e as chicanes, poderemos ir bem. Acredito que nosso carro tem a velocidade necesária”, afirmou o campeão de 2007 em entrevista acompanhada pelo TotalRace.

No Canadá, onde venceu em 2005, Raikkonen é um dos poucos que ainda não foi ‘batizado’ no muro dos campeões, na entrada da reta principal. Mas o finlandês admite que é uma questão de tempo, afinal, as chicanes do circuito Gilles Villeneuve ‘convidam’ ao muro.

“Comparando com pilotar em Mônaco, não é complicado. Até hoje, não bati lá, mas um dia chegará minha vez. Todas as chicanes aqui têm a saída muito perto do muro, então, se você derrapar um pouco demais, o carro escapa e não há muito o que você pode fazer quando a roda está fora do chão. Não é uma questão do muro em si. Você vai forçando cada vez mais nas chicanes, chega muito rápido, bate com força na zebra interna e acaba no muro.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Canadá
Pilotos Kimi Raikkonen
Tipo de artigo Últimas notícias