Reconhecendo erros, Massa explica dinâmica das estratégias

Brasileiro exime seu engenheiro de pista, Rod Smedley, de culpa sobre táticas que não saíram como o planejado

Na transmissão das corridas, quem aparece é o engenheiro de pista se comunicando diretamente com o piloto e determinando qual o momento de economizar, de forçar e de parar nos boxes. Porém, há uma equipe muito maior cuidando da estratégia de cada piloto – e processando um mundo de informação para tomar cada decisão.

Na Ferrari, as táticas adotadas por Felipe Massa nem sempre vêm se mostrando acertadas. No GP da Austrália, por exemplo, o brasileiro foi surpreendido pela decisão do próprio companheiro de antecipar um pit stop e acabou ficando para trás.

Questionado pelo TotalRace, o piloto explica que as decisões são tomadas por um grupo de engenheiros e que a culpa – os as glórias – não podem ser apenas dele ou do engenheiro de pista, Rob Smedley. Afinal, desde o fracasso estratégico que custou o título de pilotos de 2010, as táticas da Ferrari são comandadas desde a fábrica da equipe, em Maranello.

“Não temos apenas uma pessoa que cuida da estratégia, são vários engenheiros focados apenas nisso. Eles têm dados de todos os carros – não apenas os nossos, mas também das outras equipes, desde os treinos livres de sexta-feira. Com isso, vai se criando uma estratégia.”

Massa reconhece que houve erros nestas quatro primeiras provas. “Houve provas nesse ano em que minha estratégia não foi a melhor, mas é algo que estou batalhando para melhorar. Na China, por exemplo, parei uma volta mais tarde do que gostaria. Porém, quando eu pararia, o Alonso parou e acabei me dando mau. Concordo que, olhando para trás, deveria ter parado uma volta antes dele.”

Se as táticas não têm sido as mais brilhantes, pelo menos Massa está feliz com as largadas de sua Ferrari. Por enquanto, como as posições de largada da Ferrari têm sido boas em 2013, o saldo do brasileiro é negativo em uma posição, mas seu companheiro, Fernando Alonso, já ganhou cinco posições nos primeiros metros nesta temporada. Em 2012, contudo, Massa ganhou ao todo 37 posições na largada e Alonso, 30.

“Estamos trabalhando para ter o melhor ponto de embreagem e usar o pneu da melhor forma possível para a largada. Também há engenheiros que trabalham focados apenas nisso e posso dizer que, neste ano, somos o melhor carro no quesito, mas temos de continuar trabalhando para manter isso.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias