Red Bull encerra acordo com Renault e pode ter Honda em 2019

Equipe austríaca pode se ver forçada a usar motores japoneses, o que também pode impactar no futuro de Ricciardo e Verstappen

A “dança dos motores” entre Honda e Renault deverá ganhar um desdobramento inesperado para os próximos anos. A Red Bull não continuará com sua atual parceira e poderá ser forçada a utilizar unidades japonesas a partir da temporada de 2019 da F1.

Ferrari e Mercedes não têm a intenção de adquirir novas clientes para fornecimento de motores, e ambas não se interessaram em virar parceiras da Red Bull, em 2016, quando a oportunidade apareceu anteriormente.

No entanto, como a mudança da Red Bull para Honda nunca pareceu ser uma opção óbvia, aparentemente a equipe está sendo obrigada a utilizar os propulsores japoneses.

O Motorsport.com entende que uma extensão de contrato entre Red Bull e Renault já havia sido concordada para 2019 e 2020, mesmo que não tivesse havido nenhum anúncio. Porém, isso parece ter sido cancelado como consequência do divórcio entre Toro Rosso e Renault para o ano que vem. Isso deixa a Red Bull sem opção a não ser fechar um acordo com a Honda.

Contudo, a situação de Red Bull-Renault-Honda não deverá ser anunciada na sexta-feira, quando as outras mudanças de motores (envolvendo McLaren e Toro Rosso) deverão ser oficializadas.

Um divórcio total entre Red Bull e Renault após somente mais uma temporada não é surpresa, levando em conta que eles foram forçados a um casamento de conveniência, com seus motores rebatizados TAG Heuer, sem contar com sua marca nos carros austríacos.

Um acordo entre Red Bull e Honda irá expandir o relacionamento entre as duas empresas que já acontece na MotoGP, o que criaria oportunidades óbvias de marketing.

Quanto à Toro Rosso, o acordo deverá render bastante dinheiro à Red Bull, já que ela não pagará mais por seus motores e provavelmente irá receber investimento da Honda, o que significa que o chefe da Red Bull, Dietrich Mateschitz, terá seus gastos significativamente reduzidos.

Porém, há pontos de interrogação óbvios quanto ao potencial da Honda para 2019. Em longo prazo, a Red Bull segue ligada à possível chegada da Porsche para 2021, o que poderia fazer com que o acordo com a Honda dure apenas dois anos.

Caso confirmada, a notícia poderá impactar nos futuros de Max Verstappen e Daniel Ricciardo, já que ambos estão no mercado para 2019. O provável é que eles acelerem seu processo na busca de vagas alternativas, já que há oportunidades tanto em Mercedes quanto em Ferrari.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Red Bull Racing
Tipo de artigo Últimas notícias