Red Bull planeja estrear novidades no chassi na Espanha

Consultor da equipe, Helmut Marko considera que chassi e motor são responsáveis por atraso em relação aos líderes, Ferrari e Mercedes

A equipe Red Bull está planejando introduzir um chassi amplamente modificado no GP da Espanha, no próximo mês, na tentativa de se aproximar de Ferrari e Mercedes.

Apesar das previsões indicarem que o maior foco na aerodinâmica do regulamento de 2017 daria chance à Red Bull de voltar a lutar pelo título, a equipe iniciou o ano como a terceira melhor colocada.

O terceiro lugar de Max Verstappen no GP da China foi o único pódio do time nas primeiras três corridas do ano, sendo que a diferença que separa a Red Bull da Ferrari, a líder, já está em 55 pontos.

Consultor da Red Bull na F1, Helmut Marko acredita que a culpa desta diferença é parcialmente do motor Renault, que enfrentou problemas de confiabilidade e precisou voltar a usar o MGU-K de 2016 nas primeiras corridas. No entanto, ele também considera que o chassi também não está em sua forma ideal.

“Temos dois problemas: a Renault teve problemas de confiabilidade, o que os atrasou no desenvolvimento, e não construímos o chassi que deveríamos ter construído”, disse Marko, em entrevista ao site oficial da F1.

“Mas estamos trabalhando dia e noite para melhorarmos em nossas falhas. Estamos bastante otimistas que daremos um passo à frente significativo em Barcelona, onde chegará uma grande mudança nas peças.”

Questionado sobre a dimensão das novidades, Marko respondeu: “O chassi será renovado em Barcelona e a Renault planeja algo para Montreal.”

O chefe da Red Bull, Christian Horner, afirmou durante o GP do Bahrein que sua equipe ainda confia no conceito de seu carro e está confiante de que seu potencial será mostrado após o desenvolvimento.

A corrida em Sakhir foi a mais competitiva do time até agora, com tanto Verstappen e Daniel Ricciardo andando no ritmo dos líderes no início.

Verstappen, que abandonou em sua fase inicial devido a uma falha nos freios, acredita que as altas temperaturas no Bahrein ajudaram.

“O carro estava andando bem, especialmente na corrida. Eu tentava pressionar Lewis [Hamilton, que andou em terceiro no início da prova] e Lewis pressionava os caras da frente, e tudo parecia estar relativamente bem para nós”, disse o piloto.

“A pista estava exigindo muito dos pneus e isso pareceu casar bem com nosso carro.”

Durante o fim de semana, Verstappen fez o melhor tempo no treino livre de sábado, realizado em temperaturas ainda mais altas, o que reforçou o potencial da Red Bull neste tipo de condição. Mas ainda há dúvidas sobre seu ritmo com o pneu macio.

Ricciardo destacou o fato de ter sido ultrapassado por Felipe Massa e ter ficado mais de 10 voltas atrás do brasileiro após o período do safety car.

“Quando você vê uma Mercedes ou Ferrari, podemos dizer que eles conseguem fazer o pneu funcionar bem porque eles têm muito mais pressão aerodinâmica, o que gera mais temperatura no pneu”, disse Ricciardo.

“Mas o fato de que Felipe me passou e abriu distância nessas primeiras voltas provavelmente é um sinal para nós”, completou.

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Bahrein
Pista Bahrain International Circuit
Pilotos Daniel Ricciardo , Max Verstappen
Equipes Red Bull Racing
Tipo de artigo Últimas notícias