Red Bull só critica motor porque não está vencendo, diz chefe da Mercedes

compartilhar
comentários
Red Bull só critica motor porque não está vencendo, diz chefe da Mercedes
Por: Julianne Cerasoli
2 de dez de 2014 15:02

Para Paddy Lowe, tentativa de mudar regulamento não faz sentido: "É só uma questão de interesse próprio"

Renault (por meio de sua equipe principal, a Red Bull), Ferrari e Honda bem que tentaram, mas não conseguiram convencer a Mercedes a liberar mais mudanças nos motores em relação ao que já é previsto no regulamento para o ano que vem. A proposta era, além de aumentar a proporção de itens que podem ser modificados – atualmente, 48% - prorrogar o prazo – de 28 de fevereiro até julho.

[publicidade] A Mercedes, contudo, detentora da melhor unidade de potência da atualidade, usou seu poder de veto (para mudar o regulamento do campeonato de 2015, era preciso unanimidade na decisão) e barrou a alteração. Para 2016, contudo, as regras podem mudar com uma votação por maioria simples.

Para o diretor técnico da Mercedes, Paddy Lowe, a pressão, especialmente da Red Bull, que usa os motores Renault, para que uma mudança fosse efetuada, não passa de uma tentativa de tirar a vantagem dos motores alemães. O chefe da Red Bull, Christian Horner, contudo, alega que a alteração serviria ao interesse do esporte, ao aumentar a competitividade.

“Temos regras claras, que foram feitas com o aval de todos. O motivo para que haja estabilidade nas regras, particularmente em relação à unidade de potência, é permitir que boas regras, quando levadas adiante, não tenham relação com sua performance relativa. Quando se pede por mudanças rápidas é só uma questão de interesse próprio”, afirmou Lowe.

“Nada poderia ser mais claro do que o que estamos vendo, quando alguém sente que não está no topo, é porque as regras estão erradas. Nunca vi isso acontecer. Trabalhei em equipes que tiveram bons anos e anos ruins, mas não lembro de ouvir alguém dizendo que deveríamos mudar as regras para vencer novamente. Não entendo.”

Outro fator apontado pelo engenheiro é a discrepância entre a necessidade de se gastar menos na Fórmula 1 e a pressão das equipes para alterar novamente as regras. “Há algo simples na F-1: mudanças de regras custam dinheiro, particularmente em termos de motor, então é a ideia mais ridícula que ouvi para economizar.”
Próxima Fórmula 1 matéria
Vettel ganha carro da Red Bull - mas não leva para casa

Previous article

Vettel ganha carro da Red Bull - mas não leva para casa

Next article

Williams 'rouba' segundo patrocinador da Lotus em uma semana

Williams 'rouba' segundo patrocinador da Lotus em uma semana
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Julianne Cerasoli
Tipo de matéria Últimas notícias