Regras da F1 limitam mudanças nas câmeras pelo halo

compartilhar
comentários
Regras da F1 limitam mudanças nas câmeras pelo halo
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
23 de mar de 2018 12:35

Regulamento Técnico da F1 estabelece locais específicos para instalação de câmeras onboard mesmo com a introdução do halo em 2018

Charles Leclerc, Sauber C37
Kevin Magnussen, Haas F1 Team VF-18
Esteban Ocon, Force India VJM11
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB14
Sebastian Vettel, Ferrari SF-71H
Sergey Sirotkin, Williams FW41
Lewis Hamilton, Mercedes-AMG F1 W09

O impacto do halo nas câmeras onboard da F1 provocou uma reação negativa nos espectadores da TV e no paddock, mas potenciais soluções são limitadas pelas atuais regras da categoria.

O Regulamento Técnico da FIA diz que “todos os carros devem ser equipados com quatro posições nas quais câmeras podem ser instaladas”.

Todos os 20 carros são obrigados a carregar uma câmera posicionada na parte superior da tomada de ar, acima da cabeça dos pilotos.

A instalação de câmeras em outras posições – seja ao lado da tomada de ar, nos retrovisores ou na parte lateral do bico – varia de carro para carro e é decidida pela organização da F1 corrida a corrida.

Algumas filmagens foram vistas quando as equipes testaram o halo em sessões das temporadas passadas, mas o início das atividades do GP da Austrália representou a primeira oportunidade real para ver as consequências da peça em uma quantidade maior de carros.

Muitos acreditam que a tradicional câmera onboard superior, que já está presente em todos os 20 carros, ainda é aceitável, já que, por mais que o halo fique visível, ele não causa grande perturbação.

O grande problema foi com a tradicional “câmera do chassi”, situada ao lado da tomada de ar. O ângulo tem a intenção de mostrar a visão acima do ombro do piloto, o que ficou quase que completamente obstruído pelo halo.

“Uma coisa que me incomoda é que 50% da tela útil está preta”, brincou o chefe de operações da Force India, Otmar Szafnauer. “Acho que ainda é cedo. Tenho certeza de que, com o feedback, pensaremos em formas mais inteligentes de fazer isso.”

Fontes da F1 reconhecem que a categoria terá trabalho pela frente para aprimorar sua cobertura, mas o desafio está limitado pelo que determina o regulamento.

As regras dizem que “os competidores devem ser notificados sobre qualquer mudança na instalação de câmeras antes de 30 de junho da temporada anterior”.

Isso garante que não haverá mudanças na montagem nesta temporada e que as modificações planejadas para 2019 terão de ser concordadas e confirmadas até aquela data.

Neste meio tempo, a F1 pode fazer uso dos diferentes pontos de instalação já existentes, sendo que algumas foram utilizadas de forma relativamente moderada até agora.

Alguma ênfase pode ser dada nas câmeras do bico, sendo que as imagens do chassi podem passar a ser usadas para mostrar a parte de trás do carro.

“Nós não queremos imagens que não sejam interessantes ou empolgantes”, disse uma fonte da F1 ao Motorsport.com. “Nosso modelo é evoluir câmeras que entretenham. Mas não tomaremos uma decisão por impulso.”

Próxima Fórmula 1 matéria
Perez espera fazer a diferença na classificação

Previous article

Perez espera fazer a diferença na classificação

Next article

Alonso não se surpreende com Haas: “réplica da Ferrari 2017”

Alonso não se surpreende com Haas: “réplica da Ferrari 2017”

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper
Tipo de matéria Últimas notícias