Reino Unido aprova extradição de Mallya para a Índia

compartilhar
comentários
Reino Unido aprova extradição de Mallya para a Índia
5 de fev de 2019 10:29

Ex-dirigente de equipe na F1 responde a acusações de fraude referentes a problemas financeiros de sua antiga companhia aérea

O Reino Unido aprovou a extradição de Vijay Mallya, ex-chefe de equipe na F1, para a Índia a fim de responder às acusações de fraude seu país natal.

Mallya, que comandou a Force India e era dono da equipe até o ano passado, responde a processos em território indiano por dívidas de sua antiga empresa de linhas aéreas, a Kingfisher Airlines. Mallya é acusado de fraude e conspiração devido a um empréstimo obtido pela empresa, o que resultou em dívidas superiores a £ 785 milhões (R$ 3,7 bilhões na cotação atual).

A ordem de extradição foi assinada pelo Secretário de Estado para os Assuntos Internos do Reino Unido, Sajid Javid. Mallya, então, terá duas semanas para apelar da decisão.

Mallya, de 63 anos, adquiriu a então equipe Spyker em 2007 para transformá-la em Force India no ano seguinte. Em sua passagem pela F1, o time se consolidou como um concorrente forte do pelotão intermediário, o que incluiu alguns pódios esporádicos com Giancarlo Fisichella e Sergio Pérez.

No entanto, as empresas de Mallya viviam dificuldade, e o caso envolvendo a Kingfisher Airlines fez com que o dirigente permanecesse no Reino Unido, sem poder viajar para as demais prova do calendário. Em grandes problemas financeiros, a Force India entrou em administração judicial em 2018, foi adquirida por um consórcio liderado por Lawrence Stroll (pai de Lance Stroll) e será rebatizada de Racing Point no próximo ano.

Next article
GP do Azerbaijão renova contrato com F1 até 2023

Previous article

GP do Azerbaijão renova contrato com F1 até 2023

Next article

No simulador, Verstappen vê novo conjunto da Red Bull como “positivo”

No simulador, Verstappen vê novo conjunto da Red Bull como “positivo”
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1