Renault culpa replay por não devolução de posição de Hulk

compartilhar
comentários
Renault culpa replay por não devolução de posição de Hulk
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
27 de nov de 2017 18:46

Cyril Abiteboul defendeu postura de piloto, após ultrapassagem sobre Sergio Pérez no GP de Abu Dhabi

Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team, Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17 retires
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team and Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team at the Renault Te
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17 sparks
Carlos Sainz Jr., Renault F1 Team RS17, retires
Nico Hulkenberg, Renault F1 Team RS17
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17

A Renault festejou o resultado do GP de Abu Dhabi, quando o sexto lugar de Nico Hulkenberg foi suficiente para garantir o sexto lugar no campeonato de construtores e garantir um bônus de US$ 6,5 milhões.

Falando após a corrida, o diretor esportivo, Cyril Abiteboul, ficou feliz com o resultado, mas achou que o estresse de conseguir um objetivo só na última prova deve ser evitado no futuro.

"Está tudo bem agora, mas a mensagem é que devemos evitar de estar nesta posição novamente", disse Abiteboul ao Motorsport.com.

"Pode ser uma maneira muito elegante de terminar a temporada, mas precisamos ter um programa que nos permita garantir o que precisamos antes disso."

Polêmica com Hulkenberg

As bases para que Hulkenberg entregasse os pontos necessários vieram na primeira volta, quando conseguiu superar o Sergio Pérez, da Force India, depois de sair da pista.

Não tendo dado a posição de volta, Hulkenberg recebeu uma penalidade de cinco segundos, mas, com os benefícios da posição de pista, ele conseguiu construir uma margem que a punição não o fizesse perder a colocação.

Abiteboul defendeu a não devolução de Hulkenberg, sugerindo que a Renault não o instruiu a fazer isso porque não conseguiu ver o incidente na televisão.

"Não tivemos acesso às imagens e, na verdade, o replay veio tarde", disse ele. "Quando veio, já era tarde demais para voltar, e acho que já estava nas mãos dos comissários.”

"A partir desse momento, ele tratou de aumentar a vantagem para que a parada no pit não o fizesse perder a posição na pista.”

"Não podemos dizer que não teve qualquer impacto sobre nós: teve sim. Tivemos que assumir mais riscos e você sabe o quanto temos que equilibrar o risco e a confiabilidade, e isso funcionou nos pit stops. Para mim, não tenho nenhum problema com isso."

"Há regulamentos, comissários e tomaram uma decisão. Houve uma penalidade e nós a cumprimos. 
O que mais posso fazer? Não vou piorar para a nossa equipe. Então, não há mais comentários sobre isso."

Alarmes

Abiteboul também disse que a Renault teve que ser bastante "extrema" em suas configurações neste fim de semana para se certificar de que seu objetivo de pontos não fosse destruído por problemas de confiabilidade.

"Durante as últimas 20 ou 25 voltas, nos concentramos nos pneus, combustível e mecanismos de preservação".

"Fomos muito extremos neste fim de semana, temos sido muito extremos na forma como estávamos preservando o motor e tudo isso, graças ao enorme esforço em equipe de Viry e Enstone.”

Próxima Fórmula 1 matéria
Mercedes coloca McLaren e Renault como rivais em 2018

Previous article

Mercedes coloca McLaren e Renault como rivais em 2018

Next article

Kubica inicia teste decisivo com a Williams em Abu Dhabi

Kubica inicia teste decisivo com a Williams em Abu Dhabi
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Renault F1 Team
Autor Jonathan Noble
Tipo de matéria Últimas notícias