Renault espera que regra de 3 motores por ano seja revogada

Chefe da equipe ainda acredita ser possível alterar medida técnica para esta temporada e afirma que carro de 2018 não ficará atraente com Halo

O novo limite de três unidades de potência para a temporada de 2018 continua sendo alvo de discussões entre as equipes da Fórmula 1. Chefe da Renault, Cyril Abiteboul diz que o limite ainda pode ser revogado antes da temporada, e não imagina que ganhos possam ocorrer para os times do mundial com a regra.

"É uma dor de cabeça, mas é uma dor de cabeça conhecida", disse Abiteboul à Sky Sports.

"Nós sabíamos que chegaria, então nós construímos nossos planos e estratégias em conformidade. Agora, não há nada que indique que não possamos manter este plano.”

"Tendo dito isso, ainda não acredito que seja a coisa certa para a Fórmula 1, e ainda há outra chance para mudar isso nas próximas discussões com a FIA, a FOM e as outras equipes, porque não acho que realmente faça sentido para ninguém."

Mais de 700 posições em penalidades de grid foram dadas em 2017, a maioria delas a carros de motores Renault e Honda. No entanto, para simplificar as regras e evitar cenários semelhantes aos da temporada passada, a F1 reduziu as punições para 15 posições, com qualquer pena maior sendo traduzida como uma ida para o último lugar do grid.

A F1 também terá o polêmico dispositivo de proteção de cockpits em 2018, o Halo. Abiteboul disse que a Renault está ainda determinando a melhor maneira de incorporar o sistema obrigatório no carro da equipe, que será revelado em 20 de fevereiro.

"Nós achamos o Halo pesado e não muito agradável esteticamente, mas conversamos sobre isso. A decisão está tomada, e ele é necessário da perspectiva da segurança e as coisas precisam evoluir.”

“Eu acho que haverá mais tentativas de fazer isso de uma maneira mais refinada, mas, por enquanto, estamos tentando integrá-lo da melhor maneira possível".

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias