Renault mira obter alta quilometragem nos testes de 2018

Cyril Abiteboul traça meta para os próximos testes e comemora incentivo extra após conquista do sexto lugar entre os construtores

A Renault estabeleceu uma meta para a pré-temporada da F1 no ano que vem ao desejar ficar entre as três equipes que mais obtiveram quilometragem durante os testes.

Apesar de a equipe ter obtido progresso decente com sua velocidade no carro neste ano, ela enfrentou problemas de confiabilidade tanto na parte do chassi quanto do motor.

Ciente das áreas em que precisa melhorar em 2018 se quiser avançar em relação ao sexto lugar nos construtores neste ano, a Renault acredita que a chave para o progresso é garantir que ela possa acumular o máximo de quilometragem possível antes do início da temporada.

Diretor da Renault na F1, Cyril Abiteboul disse ao Motorsport.com que a fabricante francesa está trabalhando duro – e que ficou claro o que ela está observando para atingir suas metas.

“Somos ambiciosos novamente, assim como somos em todos os invernos”, disse. “Há 10 equipes que estão certas de que irão produzir um carro fantástico, e nós estamos simplesmente adotando uma abordagem metodológica.”

“Precisamos nos concentrar naquilo que importa, naquilo que conta, o que é, particularmente, a primeira meta: ter um carro muito confiável assim que os testes do inverno [europeu] começarem.”

“Queremos estar lá em termos de quilometragem. Não definimos a meta para o próximo ano em termos de campeonato, mas, na verdade, a primeira meta que temos é estar no top 3 em termos de milhagem para os testes de inverno.”

“Esse é o máximo que iremos abordar. Porque, uma vez que você alcança isso, podemos trabalhar voltando para trás.”

Nos testes da temporada passada, a Renault foi apenas a sexta em termos de quilometragem acumulada. Durante os dois testes, ela obteve 1364 km no total, o que é pouco comparado aos 2597 km da Mercedes e 2179 km da Ferrari.

As esperanças da Renault por uma pré-temporada mais forte foram impulsionadas por um bônus de US$ 6,5 milhões que obteve ao terminar em sexto lugar após a corrida final.

Mas Abiteboul pensa que a motivação que veio deste resultado foi mais importante do que o aumento do ganho financeiro.

“A F1 trata-se de pessoas. É preciso recursos, mas não é isso que fará uma grande diferença para o próximo ano. Mas as pessoas, as mentalidades, espírito e motivação são enormes.”

“Quando você tem mais de 1000 pessoas trabalhando e elas precisam trabalhar duro durante o inverno para construir um carro completo – um novo carro, motor, é muito importante.”

“Acredito muito em cada funcionário e membro da equipe, que, agora, terão um elemento de motivação extra que nos fará muito mais diferença do que alguns milhões a mais.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Renault F1 Team
Tipo de artigo Últimas notícias