Renault: Nosso progresso dirá bastante sobre a F1

compartilhar
comentários
Renault: Nosso progresso dirá bastante sobre a F1
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
20 de jun de 2018 14:56

Time francês crê que possibilidade de alcançar os 3 grandes seja um teste importante para o futuro da F1, que está dividida em "dois mundos" no momento

Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team R.S. 18
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team R.S. 18
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team R.S. 18 waves at the end of the race
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team R.S. 18 waves at the end of the race
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team R.S. 18
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team R.S. 18 and brake dust

Desde que sua equipe de fábrica voltou para a Fórmula 1 na temporada de 2016, a Renault avançou rapidamente e se estabeleceu como a quarta melhor equipe do grid nesta temporada.

No entanto, o time está bem atrás dos três grandes da F1. Seus dois pilotos levaram volta no GP do Canadá do último final de semana. A Renault tem menos da metade do número de pontos da terceira colocada, a Red Bull, no campeonato de construtores.

Leia também:

O chefe da Renault Sport F1, Cyril Abiteboul, disse que sua equipe está "no topo do segundo mundo, mas queremos fazer parte do primeiro mundo".

"Eu acho que o sucesso ou não da Renault vai dizer muito sobre a saúde do esporte", disse Abiteboul.

"Se um carro como a Renault, que na minha opinião tem as pessoas certas e a infraestrutura certa, não é capaz de passar do segundo mundo para o primeiro mundo, diz muito.”

"Se não pudermos fazer isso, ninguém será capaz de fazer. Então, estaremos congelando as posições como estão. E eu não acho que é saudável ter um esporte onde não há capacidade de mudar as posições e ter novos participantes chegando.”

"Precisamos olhar para a progressão da Renault e a limitação em nossa progressão como um sinal claro de todas as coisas que precisam ser feitas para mudar a F1."

Abiteboul disse que a Renault enfrenta uma tarefa "extremamente desafiadora" de desenvolver mais que as maiores equipes da F1. Isso pode ser ajudado pelas mudanças que os chefes da F1 planejam para 2021, incluindo esforços para nivelar o grid na área financeira, o que deve aproximar as equipes.

"Isso é algo que todas as partes interessadas realmente devem olhar", disse Abiteboul.

"E eu espero que a nova liderança da F1 analise esta questão muito rapidamente e com muita força, porque não é positivo, não é o esporte que devemos ter."

O chefe técnico da Williams, Paddy Lowe, também reconheceu o atual sistema de dois níveis.

No entanto, ele admitiu que "podemos fazer muito melhor do que fizemos com o material e os recursos que temos disponíveis, por isso não é de forma alguma uma explicação para a nossa atual falta de desempenho".

Ele acrescentou: "eu acho que se você olhar para o esporte em geral, há claramente um problema”.

"Eu notei que algumas revistas começaram a falar sobre o grid usando Classe A e Classe B. Acho que é um péssimo sinal. Isso é uma frustração dentro do esporte como um todo."

Next article
Mallya: Recuperação da Force India é "encorajadora"

Previous article

Mallya: Recuperação da Force India é "encorajadora"

Next article

Montezemolo vê Vettel como maior favorito ao título na F1

Montezemolo vê Vettel como maior favorito ao título na F1
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Renault F1 Team
Autor Adam Cooper