Renault pagou apenas 1 libra na compra da Lotus

Segundo contas, este foi o valor simbólico do negócio em negociação complexa anunciada no início de dezembro

O desespero na Lotus era grande e uma prova disso foi o aceite de um valor simbólico para finalizar o negócio com a Renault e por fim às suas dívidas.

A contabilidade confirma que a Genii Capital e sua subsidiária, a Gravity Motorsports, ficaram com 10% das ações da nova empresa.

A compra foi complexa, o que incluiu que a Genii comprou 6.744.444 ações da Whiterock Alliance Ltd, para adicionar ao seus 60,7 milhões de ações.

Ao se estabelecer como proprietária da maioria das ações, em seguida, a Genii vendeu 90% a Grigny UK Ltd - empresa que foi previamente proprietária da Benetton e Renault.

A Grigny é uma subsidiária da Renault e existe desde 1977. Entre dezembro de 1979 e 2000 ela era conhecida como Benetton (UK) Ltd. Quando a Renault adquiriu a Benetton, a companhia francesa decidiu manter o nome.

Na era dos V8, a Renault utilizava a Grigny para locar os sistema KERS, ganhando 7 milhões de libras em 2013.

Isso mudou em 2014, quando a recuperação de energia se tornou parte integrante da unidade de potência e a Grigny ganhou apenas 432 mil libras de prestação de serviços de engenharia.

Tendo quase adormecido por um ano, a Grigny volta dando suporte para a Renault, como equipe de fábrica da F1.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags renault