Renault quer lutar por vitórias mesmo com 85% da capacidade

Chefe espera ter organização em boa sintonia para chegar à forma das equipes grandes em pouco tempo

Em ascensão após uma temporada de evolução em 2017, a Renault mira em chegar nas principais equipes da Fórmula 1 mesmo com 85% da capacidade em sua fábrica.

Chefe do time, Cyril Abiteboul acredita ser um desafio possível.

"Basicamente, o desafio que estou dando à nossa equipe, a todos, e inclusive a mim, é poder a médio prazo competir com as melhores equipes com 85% de nossas capacidades e recursos", disse Abiteboul ao Motorsport.com .

"Digo isso em termos de orçamento, mas também em termos de pessoal. Não estou tentando fazer o mesmo que a Mercedes tem ou o que a Red Bull tem. Estou tentando fazer o que eles estão fazendo de maneira mais eficiente."

Abiteboul disse que a incerteza em torno da direção futura da F1 sob os novos proprietários do esporte, a Liberty Media, particularmente no que diz respeito às regras de motor e aos limites de custos, aumenta a pressão em cima do time nas escolhas.

"Continuaremos a crescer, mas vamos começar a diminuir o ritmo em que estamos crescendo", acrescentou Abiteboul.

"Eu acho que precisamos diminuir a velocidade e, eventualmente, estabilizar a base e garantir que entendamos o que está funcionando e o que não está funcionando. Vamos avaliar os pontos fortes e fracos da nossa equipe, e ainda manter alguma capacidade para ajustar e aumentar a atividade nas áreas que são nossos pontos fracos.”

"Nós não queremos chegar a um ponto no qual teríamos que voltar em termos de desenvolvimento nos próximos anos, então estou tentando fazer um julgamento sensato do que é sustentável para uma equipe de Fórmula 1 para um futuro a longo prazo, sem colocar em perigo a nossa capacidade de lutar pelos campeonatos até 2020 ou 2021.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Equipes Renault F1 Team
Tipo de artigo Últimas notícias