Ricciardo tem fé de que Red Bull correrá em 2016

Australiano crê que Fórmula 1 precise de Red Bull e Toro Rosso no grid e diz não ter medo de decisão de Dietrich Mateschitz

Com ameaças fortes de Dietrich Mateschitz (dono da marca) de que a Red Bull pode abandonar a F1 no ano que vem se não tiver motores em condições de lutar pelo campeonato, o australiano Daniel Ricciardo disse não temer o futuro do time. Para ele, a presença da marca na F1 é muito importante.

"Eu não tenho nenhum medo, tenho fé", disse Ricciardo à Autosport.

"A equipe quer correr, queremos ser competitivos. Isso são eles que decidem. Red Bull e Toro Rosso querem estar no grid pelos números e pela Fórmula 1.”

"Nós só temos 20 carros agora, e queremos ver as vagas preenchidas. É para o bem do esporte que todos se mantenham no grid e que sejamos competitivos.”

"É por isso que eu tenho fé que vamos estar no grid."

Podendo alinhar com um motor Ferrari no ano que vem, Ricciardo ressaltou que o ponto fraco do carro atual é a velocidade final.

"Nós provamos em Cingapura que temos um carro muito bom", disse se referindo ao segundo lugar no penúltimo GP.

"Se conseguirmos mais alguns cavalos de potência vamos estar muito acima no grid.”

"Isso é o que queremos. Nossos concorrentes deveriam saborear esse desafio."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Daniel Ricciardo
Tipo de artigo Últimas notícias