"Ritmo da Mercedes não surpreendeu", diz Mark Webber

Australiano acredita que o rendimento de cada carro vai variando durante a temporada de acordo com a pista

Antes da largada do GP de Mônaco, ninguém duvidava que as Mercedes vinham rápidas. Afinal, haviam dominado todos os treinos. Porém, havia a dúvida se os pneus durariam o suficiente para que Nico Rosberg e Lewis Hamilton se mantivessem à frente. Afinal, a equipe marcara as últimas três poles e o máximo que havia conseguido fora um terceiro lugar, com Hamilton, na China.

Adotando um ritmo bastante lento no início e contando com três paralisações após acidentes, Rosberg não foi ameaçado por ninguém e venceu seu primeiro GP do ano, enquanto Hamilton foi quarto. A Mercedes só não fez uma dobradinha pois o primeiro Safety Car foi à pista quando os dois pilotos ainda não haviam parado.

“Não foi uma surpresa”, afirmou Mark Webber, terceiro colocado na prova com a Red Bull. “Já vimos no passado como o comportamento de um carro pode variar muito de um circuito para o outro. A Mercedes esteve bem aqui por todo o final de semana, mesmo nas simulações de corrida já na quinta-feira.”

Economia de pneus à parte, o australiano acredita que a Mercedes tinha ritmo verdadeiro para vencer.

“Sabíamos que a posição de pista e a classificação eram muito importantes. Assim que a corrida começou, foi uma questão de manter sua posição. Sempre acontece que quem consegue controlar a corrida acaba ganhando e, para ser honesto, não acho que poderíamos ter feito um trabalho melhor que o dele hoje.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP de Monaco
Pilotos Mark Webber
Tipo de artigo Últimas notícias