Ritmo "falso" mostrado em treinos livres irrita chefe da Ferrari

Maurizio Arrivabene pede para equipe treinar com mais combustível no carro para obter parâmetro melhor

Fora do pódio pela segunda vez no ano, a Ferrari deu esperanças de que pudesse lutar com a Mercedes no GP da Áustria após fazer o melhor tempo em dois dos três treinos livres com o alemão Sebastian Vettel. No entanto, o que se viu na classificação e na corrida foi mais do mesmo, com Vettel mais uma vez tendo dificuldade de acompanhar os carros da fábrica alemã.

Quando perguntado por que a Ferrari muitas vezes parece mais forte às sextas-feiras do que realmente está, o chefe da equipe, Maurizio Arrivabene, disse: "Minha análise é que depende da quantidade de combustível que as Mercedes têm comparado a nós.”

"Eu disse aos engenheiros que é melhor irmos para a sexta-feira com um tanque cheio completo, para que tenhamos uma comparação correta ao invés de algo falso."

Apesar de a Mercedes ter tido uma confortável dobradinha na Áustria, Arrivabene acredita que o ritmo da Ferrari não tenha estado muito longe.

"Assim que os pneus entraram na temperatura correta, estávamos mais ou menos dois décimos mais lentos que Lewis Hamilton", disse ele.

"A diferença para Nico Rosberg foi maior, mas isso depende de uma série de fatores. Nós não estávamos tão longe na corrida.”

O chefe já diagnosticou os problemas do SF15-T "É o downforce e é a tração. São problemas que estamos trabalhando para resolver. Mas não quero usar de desculpa. É um desafio para nós trabalhar melhor e ter certeza de que estamos muito bem."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Áustria
Pista Red Bull Ring
Pilotos Kimi Raikkonen , Sebastian Vettel
Equipes Ferrari
Tipo de artigo Últimas notícias
Tags arrivabene