Rosberg confessa: temia trabalhar com Schumacher

Piloto da Mercedes admite, em entrevista ao "Gazzetta dello Sport", que tinha medo que Brawn preferisse o heptacampeão

Rosberg e Schumacher

Em entrevista ao jornal italiano "Gazzetta dello Sport", Nico Rosberg afirmou que chegou a ter medo de ser preterido na Mercedes quando soube que seria companheiro de equipe de Michael Schumacher.

O alemão, que terminou as duas temporadas que disputou em conjunto com o heptacampeão à frente do veterano, disse que não teve dificuldades em trabalhar junto com Schumacher, apesar de ter ouvido boatos e temer uma maior aproximação entre Schumacher e o chefe da equipe, Ross Brawn, por conta do histórico dos dois juntos.
 
"Ele não é o tipo de pessoa que você chamaria de idiota. Quando pergunto uma coisa, ele nunca mente para mim. Você pode trabalhar com ele, o que foi uma surpresa, após ouvir tantos boatos", comenta o filho do campeão de 1982, Keke Rosberg.
 
"Na pista, sempre tive a mesma oportunidade que ele. Sou sortudo em estar nesta situação, pois neste caso sempre esperei o pior, considerando que Brawn e Michael trabalharam juntos por ma vida. Na verdade, Brawn tem uma distância igual dos dois e é uma referência fenomenal para mim, também."
 
Rosberg também explicou os motivos que o fizeram permanecer na Mercedes, ressaltando não ter vontade de pilotar uma Ferrari no momento. "Decidi ficar, pois sei que a situação vai mudar. A Mercedes está fazendo de tudo para criar uma estrutura vencedora. Ross Brawn me disse que Aldo Costa e ótimo e os outros técnicos são muito bons, também."
 
"Quase todos meus amigos são italianos, apoiam a Ferrari e me perguntam quando pilotarei um carro vermelho. Mas não estou pensando nisso, pois sou alemão e continuar pilotando a Mercedes é ótimo. Só preciso de um carro vencedor, mas estou certo de que teremos em 2012", completa.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Michael Schumacher , Nico Rosberg
Tipo de artigo Últimas notícias