Rosberg explica por que não foi punido por passar reto na chicane

Alemão fez sua melhor volta quando saiu da pista, mas defende que não ganhou vantagem e estranha investigação

Nico Rosberg escapou de uma punição durante o GP do Canadá por ter cortado a última chicane quando era pressionado pelo companheiro Lewis Hamilton. Após a prova, o alemão explicou o ocorrido e aproveitou para pedir que a regra seja repensada.

Quando passou reto, na 25ª volta, Rosberg foi meio segundo mais rápido que na volta anterior e seis décimos mais veloz que Hamilton. Naquele momento, fez sua melhor volta na corrida até então.

Como a regra diz que o piloto não pode “ter uma vantagem duradoura” após sair dos limites da pista e Rosberg foi um segundo mais lento na volta seguinte, os comissários decidiram não puni-lo.

“Eu fui reto e não ganhei nenhuma vantagem. Inicialmente sim, mas diminuí o ritmo nas curvas 1 e 2, como é normal fazer. Então contando que não tenha tido vantagem, está tudo bem. E ainda bem que eles julgaram desse jeito”, afirmou o líder do campeonato.

Mesmo tendo escapado de alguma punição Rosberg admite que é bom deixar a regra mais clara. “Vale a pena discutir, porque é estranho que os comissários tenham investigado. É algo com que todos concordamos entre nós, e especialmente que se for a primeira vez que você faz isso, leva um aviso, mas não pode fazer três vezes seguidas.”
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias